Topo

Violência contra a mulher


Jovem é achada nua e ferida após ter ficado refém do namorado por 14 dias

Elza Fiúza/Agência Brasil
Imagem: Elza Fiúza/Agência Brasil

Rafael Ribeiro

Colaboração para Universa

04/09/2019 17h57Atualizada em 05/09/2019 09h52

Resumo da notícia

  • Uma mulher de 17 anos foi mantida em cárcere privado pelo namorado durante 14 dias, em Coxim (MS)
  • Ela conseguiu pedir socorro a uma amiga e foi encontrada nua e ferida pela polícia e por seus pais
  • O namorado da vítima, um vendedor de 31 anos, foi preso em flagrante
  • Ele será indiciado por seis crimes: sequestro, cárcere privado, lesão corporal, ameaça, estupro e injúria
  • O suspeito negou ter havido crime e disse que tudo foi consentido pela garota

Presa dentro de um quarto por cerca de 14 dias, uma adolescente de 17 anos foi encontrada pelos pais e pela Polícia Militar nua e com ferimentos pelo corpo em uma casa localizada em Coxim (MS), na noite de ontem (3).

Suspeito de manter a jovem em cárcere privado, um vendedor de 31 anos, que se identificou como namorado dela, estava na casa e foi preso em flagrante.

Os pais da jovem procuraram a polícia dizendo que a filha estava sendo mantida presa dentro de uma casa havia 14 dias. Todos seguiram até a residência e o suspeito foi visto pelos PMs através do muro da residência. O local foi invadido pelos policiais e a garota foi encontrada dentro de um quarto sem roupas e com ferimentos pelo corpo. Ela estava desorientada e em estado de choque, mas informou à polícia que os machucados foram provocados pelo suspeito.

Homem ameaçou divulgar vídeos íntimos

Os policiais militares deram voz de prisão ao homem, que foi levado à Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) da cidade. Segundo a polícia, o suspeito contou que, além de manter a namorada presa por 14 dias, ameaçava divulgar vídeos íntimos dos dois mantendo relação sexual para forçá-la a não fugir da casa dele.

Segundo a delegada Sandra Regina Simão de Brito Araújo, da DAM, o suspeito mantinha relacionamento com a adolescente. No dia 27 de agosto, os pais da vítima haviam registrado boletim de ocorrência por abandono familiar, pois a garota havia saído de casa no dia 21 e até então não havia voltado. A família desconfiava que ela estivesse com o rapaz, mas toda vez que iam à casa dele, não a encontravam.

Houve violência sexual, psicológica e física

Ainda de acordo com a delegada, durante o tempo em que foi mantida em cárcere na casa, a vítima sofreu diversos tipos de violência: sexual, psicológica e física. "Ela até conseguia sair para ir ao mercado, mas com o consentimento dele", disse Sandra. Na noite de ontem (3), porém, a vítima conseguiu pedir socorro para uma amiga, que entrou em contato com os pais dela.

Em depoimento, o vendedor negou os crimes: disse que tudo foi consentido e que as lesões encontradas no corpo da mulher foram produzidas durante as relações sexuais. A vítima passou por exame de corpo de delito no IMOL (Instituto Médico e Odontológico Legal).

O vendedor é usuário de drogas e tem passagem pela polícia por perturbação de sossego, registrada por uma ex-mulher sua. De acordo com a polícia, ele será indiciado por seis crimes: sequestro, cárcere privado, lesão corporal, ameaça, estupro e injúria. Ele passará por audiência de custódia na Justiça entre esta tarde e quinta-feira (5), que definirá se ele ficará preso esperando o andamento do inquérito ou se poderá responder em liberdade.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado no último parágrafo, o suspeito do crime deve responder por seis crimes, e não quatro. A informação foi corrigida.