Topo

Mulher é atacada com ácido e veneno de rato em SP; ex-marido confessa crime

Getty Images
Imagem: Getty Images

Eduardo Schiavoni

Colaboração para Universa

03/09/2019 14h16

Resumo da notícia

  • Uma mulher de 26 anos foi atacada com uma mistura de ácido e veneno de rato, em Campo Limpo Paulista (SP)
  • O ex-marido dela, de 30 anos, confessou o crime, foi preso e deve responder por lesão corporal
  • Eles têm uma filha de cinco anos e estão separados há pouco mais de um ano, segundo a polícia
  • O homem, que não tem histórico de violência doméstica, não aceitava o fim do relacionamento

Um homem de 30 anos é suspeito de jogar uma mistura de ácido, soda cáustica e veneno de rato no rosto de sua ex-mulher, de 26, em Campo Limpo Paulista, interior de São Paulo. Ele também teria tentado fazer que a vítima bebesse o líquido. Enquadrado na Lei Maria da Penha, o homem está preso e deve responder por lesão corporal.

Segundo a delegada Renata Ono, responsável pelo registro da ocorrência, o ex-casal tem uma filha de cinco anos e está separado há pouco mais de um. No sábado (31), a mulher foi a uma festa na casa de amigas e publicou uma foto no Instagram. "O averiguado viu a foto e não gostou. Ele não aceitava o fim do relacionamento e chegou a ligar para ela mais de cem vezes naquela noite", disse.

Na manhã de domingo (1), de acordo com a polícia, o suspeito foi até a casa da ex-mulher. "Ele deu tapas nela, houve agressão. Depois, a obrigou a ir até a cozinha e fez a mistura de soda cáustica, ácido e veneno. Ele apertou as bochechas dela e a obrigou a engolir. A mulher chegou a ingerir uma quantidade pequena, mas, como ele não conseguiu fazer com que ela bebesse tudo, acabou jogando a mistura no rosto dela", contou.

A vítima teria começado a gritar e chamado a atenção de vizinhos, que acionaram a Polícia Militar. O suspeito, no entanto, fugiu. Quando os policiais chegaram ao local, encontraram a vítima, que estava sendo levada ao hospital. Os vizinhos informaram as características do homem e os agentes saíram em busca dele.

Homem não tinha histórico de violência

O suspeito foi encontrado pelos policiais nas proximidades da casa da ex-mulher. Durante a abordagem, um recipiente com a mesma mistura jogada na vítima teria sido encontrado com o homem, que foi levado à delegacia de Campo Limpo Paulista. Ele não tem passagens anteriores pela polícia nem histórico de violência doméstica e apresentava quadro depressivo, de acordo com a delegada.

"Ele confessou o crime, disse que fez besteira. Após audiência de custódia, teve a prisão preventiva decretada. O caso foi tipificado como lesão corporal, mas é preciso esperar o resultado da perícia para ver se o líquido era efetivamente veneno e se poderia matar a vítima. Se for o caso, o crime pode ser tipificado como tentativa de homicídio", explicou Renata.

O prazo para que esse resultado saia é de 45 dias. A pena por lesão corporal decorrente de violência doméstica é de detenção de três meses a três anos. No caso da tentativa de homicídio qualificado (ou feminicídio), a pena seria de prisão de quatro a 20 anos. O homem está preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Jundiaí.

A vítima passou por uma lavagem da região dos olhos em uma unidade de saúde. Após ser liberada pelos médicos, ela esteve na delegacia, onde prestou depoimento.

Violência contra a mulher