Topo

Direitos da mulher


PL prevê campanhas para combater assédio sexual nos estádios do RJ

Estádio do Maracanã com bandeira do Fluminense - Divulgação/Fluminense
Estádio do Maracanã com bandeira do Fluminense Imagem: Divulgação/Fluminense

Da Universa

14/08/2019 10h09

A deputada estadual Dani Monteiro (PSOL-RJ) protocolou dois projetos de lei que podem tornar os estádios de futebol do Rio mais inclusivos às torcedoras: um para garantir a instalação de fraldários nos banheiros e outro para e combater o assédio e a violência contra a mulher durante os jogos.

Se os textos foram aprovados em plenário, a administração dos estádios ficará responsável pela criação de campanhas de combate à violência contra a mulher nas arquibancadas.

Além disso, a deputada quer facilitar os processos para a identificação dos agressores ainda dentro do estádio. A ideia é que as vítimas tenham acesso às imagens das câmeras de segurança junto ao Jecrim (Juizado Especial Criminal) e às forças policiais de patrulhamento, que normalmente atuam nos estádios.

"Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive nos estádios!", comemorou a parlamentar, no Twitter.

Fraldários

Um segundo PL, que diz respeito aos fraldários, prevê que a administração instale em até 180 dias fraldários tanto no banheiro feminino quanto no masculino. Elas podem optar, ainda, por criar um banheiro da família -- aquele em que crianças de até 10 anos podem entrar acompanhadas pelos responsáveis.

No texto, Dani Monteiro explica que as propostas tem como objetivo "democratizar o acesso e permanência das famílias, em todas as suas composições e arranjos, aos estádio do Estado do Rio de Janeiro".

"A tradição de visitar os estádios e acompanhar eventos esportivos com toda a família é uma característica nacional que vem sendo prejudicada por incidentes de insegurança, sendo essencial o estímulo por meio de medidas que melhorem a estrutura desses espaços para todas e todos", diz o PL.