Topo

Paolla Oliveira: "Aprendi a sentir segurança no meu corpo sem me agredir"

Paolla Oliveira em ensaio para a campanha Primavera-Verão 2019 2020 da Pernambucanas  - Divulgação
Paolla Oliveira em ensaio para a campanha Primavera-Verão 2019 2020 da Pernambucanas Imagem: Divulgação

Gustavo Frank

De Universa

13/08/2019 18h31

É difícil tirar os olhos de Paolla Oliveira na pele da influencer Vivi Guedes em "A Dona do Pedaço". Mas engana-se quem acha que a visibilidade alcançada por ela está restrita apenas à tevê. É fora dela também que a atriz se tornou uma imagem de inspiração para outras mulheres, seja pela maneira de se vestir ou de se comportar.

"Eu adoro a moda e sem dúvida tem sido uma delícia descobrir mais sobre o universo Vivi Guedes. Para mim, moda é arte e criatividade. Gosto da maneira ousada, sexy, moderna e ainda assim chique de se vestir. E o que aprendo com ela é que a moda e a beleza estão cada vez mais democráticas, sabe? Não preciso seguir padrões 'corretinhos' ou tabelas do que é certo ou errado", opinou em bate-papo a Universa.

Quanto a sua relação com as redes sociais, a paulistana, de 37 anos, tenta manter de forma saudável e livre de todo o ódio discursado pelos haters: "Aprendi a lidar com minhas redes de uma maneira mais confortável. Compartilhando um pouco de mim, mas com alguns limites, o que é necessário. Acredito que o que eu faço agrade porque é verdadeiro e espontâneo. A melhor parte da rede social é ser um canal direto. Lá, eu falo por mim, e não terceiros, com julgamentos ou opiniões".

Divulgação
Imagem: Divulgação

A influência que Paolla tem hoje parte do que ela descobriu sobre si mesma como mulher, a ponte construída por ela com quem a acompanha e, sobretudo, o aprendizado adquirido com os próprios erros.

"Só tento influenciar com o que é genuíno para mim. Sou uma mulher que trabalha bastante, que aprendeu muito cedo o senso de responsabilidade, a importância da família, aprendi a me sentir mais segura, com minha vida, com meu corpo, com as minhas escolhas, tenho opiniões e desejos, mas continuo aprendendo todo dia o melhor caminho de viver e compartilhar com atitude e sem me agredir. Acredito que essa identificação [de outras mulheres] comigo venha por esse caminho. Me sinto simples e real".

Por fim, o conselho deixado por ela é: "Você pode e merece o melhor. Busque o acerto, mas não tenha medo de errar. Diminua as cobranças e os padrões. Inspire-se sempre, mas sinta também orgulho de quem você é, das suas conquistas e dos que você ama".

Autoestima