Topo

Relacionamentos


Relacionamentos

11 coisas que ninguém deveria fazer depois de uma DR

O objetivo da conversa entre o casal é superar o conflito que existe - Getty Images
O objetivo da conversa entre o casal é superar o conflito que existe Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

29/07/2019 04h00

Discutir a relação é importante para dissipar desconfianças ou ruídos, chegar a consensos e estipular acordos. No entanto, é comum que depois da conversa ainda persista algum tipo de desconforto ou ansiedade. O que acontece depois da DR é tão importante quando o diálogo para selar a paz de um casal, por isso é fundamental evitar algumas ações, como as listadas a seguir.

Fingir que está tudo bem

Se ainda há insatisfação e uma sensação de incômodo após a conversa, é sinal de que o conflito ainda não está resolvido. O ideal é voltar a conversar sobre o assunto em vez de fingir que está tudo bem, o que pode gerar mal-estar e, como consequência, novas discussões. E o pior: por qualquer motivo que aparecer.

Insistir que o outro perdoe imediatamente

"Após uma briga, é natural que um dos dois queira refletir sobre o que aconteceu. O silêncio que vem em seguida pode gerar insegurança no parceiro. É importante não insistir para que o outro perdoe ou esqueça imediatamente o que houve. Mesmo que tudo já tenha sido dito, dê espaço para o par digerir a situação, de modo que a relação possa prosseguir sem culpabilizações mútuas", afirma Joselene L. Alvim, psicóloga clínica de Presidente Prudente (SP) e especialista em neuropsicologia pelo setor de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo).

Ignorar o par

Segundo a mediadora de conflitos e coach Suely Buriasco, de São Paulo (SP), emburrar e dar um gelo no outro não são boas decisões. "Se você não se sente bem o suficiente para conversar de forma equilibrada, diga ao par que precisa de um tempo para se refazer emocionalmente", sugere ela. Ficar de picuinha só cria mais estresse e ansiedade.

Expor o que aconteceu nas redes sociais

Evite expor sua intimidade em textões no Facebook ou em indiretas no Instagram. Ninguém tem nada a ver com seus problemas amorosos e, se algo ficou mal resolvido, converse diretamente com a pessoa envolvida. "Pode ter certeza de que a maioria dos seus amigos das redes sociais não está nem aí para o seu relacionamento, e você ainda pode macular sua imagem junto aos colegas do trabalho", diz Pollyana Esteves, especialista em psicologia positiva e constelações familiares, de São Paulo (SP).

Rememorar o que foi dito na hora da raiva

"Um dos piores erros é ficar revivendo a briga e listar o que se falou na ocasião, em um momento de descontrole, usando esses comentários para irritar ou machucar o outro", observa Suely Buriasco. Para Joselene L. Alvim, agir assim é uma forma de tentar controlar o outro, o que demonstra que o casal não resolveu a questão que levou à discussão. "Além do mais, esse tipo de atitude só afasta o casal, pois o parceiro, mesmo arrependido, sente-se incompreendido", diz a psicóloga.

Ligar para algum familiar para desabafar

Ao telefonar para a mãe, o pai ou a madrinha para relatar o que aconteceu, a pessoa se coloca no papel de vítima -- e o par, invariavelmente, acaba ficando com a função de vilão. "O que costuma acontecer é que os dois se reconciliam e quem ouviu o desabafo fica com a imagem negativa da pessoa, o que pode criar situações desagradáveis quando todos se encontrarem em alguma reunião familiar, por exemplo", pontua Alvim.

Fazer ameaças ou tomar decisões precipitadas

Para a psicóloga clínica Thais Rabanea, mestra em psiquiatria e psicologia médica pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), intimidar o outro com a possibilidade de ir embora ou falar em separação quando os ânimos ainda estão exaltados só tende a gerar mais raiva e angústia. "O objetivo de uma discussão de relacionamento é fortalecê-lo ao superar o conflito. Mesmo em circunstâncias tensas, é preciso não perder o propósito de tentar se entenderem. Isso diminui a ansiedade e as reações defensivas que podem ser tão prejudiciais", diz Thais.

Pagar na mesma moeda

Há casais que se sentem tão traídos por algo que o outro fez que não veem a hora de dar o troco. "Porém, querer pagar na mesma moeda é uma forma de vingança que não resolve a situação, pelo menos para a pessoa que decidiu se vingar. A vingança é uma forma de ressarcimento emocional e é transitória. A dor e o incômodo ainda permanecerão. Diálogo e muita reflexão são ferramentas que farão a pessoa olhar de outra forma para a situação", observa Joselene.

Querer ter razão a todo custo

"Quando estamos empenhados em mostrar que estamos certos, ficamos surdos ao que o outro diz ou indiferentes a como o outro se sente", afirma Thais Rabanea.

Reclamar com os filhos

Jamais comente com seus filhos sobre uma DR. "Entenda que, independentemente do erro que você ou o par cometeram, a opinião que as crianças têm sobre os pais não deve ser alterada. "E, muito menos, peça para que tomem partido. Isso altera a imagem que eles têm não só dos pais, mas também dos relacionamentos amorosos. E, é óbvio, interfere no respeito em família", diz Pollyana Esteves.

Jogar a treta na roda de amigos

Evite criticar seu par na frente de quem quer que seja. E, sob hipótese alguma, exponha a DR -- mesmo a que já foi superada -- para outras pessoas. Falar mal do parceiro ou comentar intimidades na frente dos outros só vai fazer com que vocês se afastem, iniciem novas brigas ou percam o respeito e a admiração mútuos.