Topo

Diversidade


Passageira se recusa a sentar com mulher negra em avião: "Fui envergonhada"

iStock
Imagem: iStock

Da Universa

03/07/2019 13h42

Uma passageira da companhia aérea Spirit Airlines usou suas redes sociais para demonstrar sua indignação após ser "obrigada" a procurar um novo assento depois que uma mulher branca se recusou a sentar ao seu lado -- algo que ela alega ter acontecido por ser negra.

"Eu tive que pedir a alguém para trocar de lugar comigo porque ela não queria se sentar com uma mulher negra em 2019!", escreveu Tiarra em uma série de publicações feitas em seu perfil no Facebook.

Segundo a jovem, ela teria chegado atrasada ao voo de Las Vegas para Chicago, pela Spirit Airlines, depois que seu avião anterior enfrentou um atraso de 12 horas. Assim que chegou ao avião e procurou seu assento, uma mulher, que já estava sentada na mesma fileira, "se recusou a deixá-la sentar ao lado dela".

"Ela se recusa a ponto de argumentar com a comissária de bordo sobre como ela impediria isso de acontecer. Esse voo de quatro horas parece estar durando uma vida. Estou muito envergonhada e com o coração partido", contou.

No relato, Tiarra afirma ter sido forçada a pedir para que outros passageiros trocassem de lugar com ela. Mais tarde, a mulher teria dito que a impediu de sentar lá "por achar que o assento estava vazio" -- o que contrariou sua atitude de deixar um universitário branco sentar ao lado dela posteriormente.

Embora as comissárias de bordo tenham agradecido Tiarra por sua atitude de "pensar coletivamente", ela não voltou atrás com a acusação de ter sido vítima de racismo durante a viagem. Nas publicações, a norte-americana critica ainda a Spirit Airlines por não escoltar a passageira branca e permitir que o conforto dela tivesse prioridade ao dela.

Em comunicado, a Spirit Airlines afirma ter "zero tolerância para qualquer tipo de discriminação em seus voos" e tomará medidas para avaliar o incidente.

"[A Spirit Airlines] iniciou uma investigação sobre este incidente e nós chegamos diretamente ao endereço dos envolvidos", diz uma declaração do gerente de relações públicas Derek Dombrowski.