Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Como em "A Dona do Pedaço": o que fazer quando o filho tem vergonha da mãe?

Em "A Dona do Pedaço", Josiane (Agatha Moreira) tem vergonha de Maria da Paz (Juliana Paes) - TV Globo/Divulgação
Em "A Dona do Pedaço", Josiane (Agatha Moreira) tem vergonha de Maria da Paz (Juliana Paes) Imagem: TV Globo/Divulgação

Luiza Souto

Da Universa

01/07/2019 04h00

Em "A Dona do Pedaço", Josiane (Agatha Moreira) prova diariamente que tem vergonha da mãe. Reclama que Maria da Paz (Juliana Paes) se veste mal e já a comparou a uma árvore de Natal. Diz ainda que por ela ser boleira, nunca foi aceita na escola, e recentemente decretou: "Eu não me sinto filha dela". Mas do dinheiro da mãe a vilã não tem vergonha, né?

Qualquer semelhança com protagonistas icônicas não é mera coincidência: quem não se lembra de Griselda (Lilia Cabral) sendo humilhada pelo filho José Antenor (Caio Castro) ao levar um caderno na faculdade do jovem em "Fina Estampa"? "A senhora está proibida de aparecer aqui, ouviu? Aqui não sou seu filho, eu sou o Antenor, o melhor aluno do terceiro ano! E a senhora não vai estragar isso!", esbravejou o rapaz. Ou da Maria de Fátima (Gloria Pires) achincalhando a mãe (Regina Duarte) em "Vale Tudo"? "Você sempre se cercou de gente pobre, por isso sei que do seu lado não vou chegar a lugar nenhum".

A esteticista Ana da Cruz, 38, afirma: "Estou longe disso, mas passo por muitas situações difíceis". Ela ficou surda há quatro anos e usa o implante coclear (um aparelho eletrônico para pessoas com perda auditiva de grau severo a profundo). Por causa disso, diz sentir distanciamento dos filhos.

"Há 4 anos perdi a audição e foi muito estressante. Antes de usar o implante coclear, não sabia o tom da minha voz. Quando estava empolgada, era natural falar mais alto, mas não é minha culpa. Quando isso acontecia, era cortada com um sinal pelos meus filhos. Eles pediam para eu falar baixo, porque ficavam com vergonha. Quando ia a algum lugar, um empurrava para o outro me acompanhar. Também se irritam quando não os ouço, e relutam em repetir o que acabaram de falar. Tenho um filho de 20, um de 18 e uma de 6.

Busco explicar minha condição, digo que não optei por isso, e que preciso da colaboração deles. Às vezes também brigo, pois não sei realmente qual é o melhor caminho. Mas é cansativo tentar fazer com que o outro respeite ou entenda. Passo muitos momentos de preconceito ainda dentro e fora de minha casa".

Em "A Dona do Pedaço", Josiane (Ágatha Moreira) acha que a mãe, Maria da Paz (Juliana Paes), se veste mal  - TV Globo/Divulgação
Em "A Dona do Pedaço", Josiane (Ágatha Moreira) acha que a mãe, Maria da Paz (Juliana Paes), se veste mal
Imagem: TV Globo/Divulgação

A psicoterapeuta de crianças e adolescentes Monica Pessanha ensina que o sentimento de vergonha é natural, já que está relacionado ao social, mas frisa: alguns casos são injustos e aí os pais devem atuar. Ela não acha que mimar os filhos causa esse comportamento.

"Mas penso que não frustrar a criança pode levar o adolescente a desrespeitar a diferença na condição financeira dos pais em relação ao de outros amigos da escola, por exemplo", atenta a especialista, mestre em psicologia clínica pela PUC/SP.

Para evitar esse tipo de comportamento, Monica indica aos pais ensinar a criança, desde pequena, a respeitar e aceitar as escolhas e preferências do outro, e praticar a empatia, que é se colocar no lugar alheio. Conversar também está entre as soluções.

"Conversar é sempre o melhor caminho para qualquer situação. E estabelecer limites para que não aconteçam momentos desagradáveis. É importante ainda se posicionarem sobre como se sentem em relação à situação. Podem dizer abertamente que estão magoados, por exemplo. Vale também perguntar quais os motivos que levam a ter este comportamento e como podem minimizar situações constrangedoras para ambos", descreve.

Os filhos também podem ajudar, se o motivo da vergonha for em relação à cultura dos pais. Vale um convite ao teatro, cinema, indicações de leituras e viagens, ensina a profissional.

"Mas isso não significa que seja importante, apenas que podem crescer juntos. E independentemente da situação dos pais, os filhos devem lembrar que a gratidão é importante em nossas vidas".