Topo

Mães e filhos

Menstruar grávida: é possível que as duas coisas ocorram ao mesmo tempo?

Mulheres podem ter sangramentos durante a gestação, mas é menstruação? - Getty Images/iStockphoto
Mulheres podem ter sangramentos durante a gestação, mas é menstruação? Imagem: Getty Images/iStockphoto

Jacqueline Elise

Da Universa

27/06/2019 04h00

Um caso inusitado chamou a atenção em Sorocaba, interior de São Paulo. No último sábado (22), uma jovem de 20 anos deu entrada na Unidade Pré-Hospitalar da cidade se queixando de dores fortes na lombar e no abdômen. Entretanto, descobriu que estava grávida e em trabalho de parto. A mulher, que não foi identificada, afirmou que estava menstruando normalmente. Afinal, isso é possível? As especialistas Mariana Rosário, ginecologista, obstetra e mastologista do Hospital Albert Einstein, e Juliana Pierobon, ginecologista e mastologista pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), explicam a situação.

É possível estar grávida e menstruar normalmente?

As especialistas garantem que não. A menstruação é a descamação do endométrio, a camada interna que reveste o útero e que, todo mês, se enche de sangue para receber um embrião. "Quando a gente ovula e não há fecundação, esse 'colchão' do endométrio se desfaz com o óvulo não fecundado, aí vem o sangramento. Quando uma mulher está grávida, ela não ovula, não há alteração do endométrio e, portanto, não tem como haver menstruação", explica Mariana. O que ocorre é que, durante a gestação, a mulher pode ter sangramentos que se confundem com o ciclo menstrual.

Mas o que pode ser este sangramento na gravidez?

Existem algumas possibilidades que podem explicar as causas. "O sangramento pode acontecer quando embrião está se fixando no endométrio, e aí vem um corrimento leve com cor de borra de café. Mas também pode ser uma ameaça de aborto, com sangue mais intenso, o que é mais comum no primeiro trimestre da gestação", diz Juliana. No caso da menina de Sorocaba, especificamente, houve inserção baixa de placenta, que é quando ela é implantada muito próxima do colo do útero. "Isso causa sangramentos mais vivos, mais abundantes. Como o colo está bastante vascularizado, qualquer movimento intenso que a mulher faça pode causar sangramentos. Podem ser grandes ou só escapes, dependendo do nível do impacto", diz Juliana. Mas a inserção baixa é incomum: uma entre 200 mulheres tem a condição.

Sangramentos também podem ocorrer por outras razões no decorrer da gestação, como em decorrência de alguma infecção ou por descolamento de placenta.

Como saber qual o tipo de sangramento tenho?

  • Menstruação: dura entre 5 e 7 dias. O sangue tem cor vermelho vivo, às vezes com coágulos. Vem em abundância e depois vai diminuindo e escurecendo. Para quem faz uso do anticoncepcional, a cor e a quantidade de dias que a mulher fica menstruada pode variar. É igual ao sangramento da pausa da cartela de pílula anticoncepcional;
  • Sangramento de escape: acontece com mulheres que tomam a pílula anticoncepcional. O escape, ou "spotting", vem no meio do ciclo, com cor escura e em pouca quantidade. Dura entre 2 e 3 dias --sem uma periodicidade;
  • Sangramento de implantação do embrião: também com cor de borra de café e vem em pequena quantidade, dura cerca de 2 dias --uma única vez em uma gestação;
  • Ameaça de aborto: pode ter variação de cor e quantidade. Para saber diferenciar, a mulher precisa estar ciente de que está grávida e, se isso acontecer, ela precisa urgente ir ao médico.

Por que muitas não sabem diferenciar o ciclo menstrual destes sangramentos?

Mariana crê que muitas mulheres ainda não estão plenamente cientes de seu ciclo menstrual, seja por falta de informação ou por estarem acostumadas com o ciclo que o anticoncepcional proporciona. "Existe muito, especialmente em pacientes jovens, a negação. Ela não quer nem pensar na possibilidade de estar grávida e confia muito na pílula, que pode falhar. Eu acredito que a pessoa, muitas vezes, não tem percepção de que tem algo diferente acontecendo com ela."

O ciclo menstrual costuma ter 28 dias. Mas isso não é regra. Há mulheres com ciclos regulares de 35 dias, por exemplo. Também é comum mulheres com ciclos irregulares -- para essas pode ser mais difícil monitorar a menstruação ou perceber os primeiros sinais da gravidez. "Outras pessoas têm períodos menstruais muito curtos, de 2 ou 3 dias, e, por isso, podem confundir sua menstruação com os sangramentos da gravidez", explica Mariana.

Como a mulher não percebe as mudanças no corpo?

Às vezes, a paciente não percebe as modificações do corpo, não tem os sintomas mais comuns e acha que está tudo normal. "Mulheres obesas costumam ter ciclos irregulares e, muitas vezes, não notam um aumento de peso. Podem passar um tempão da gravidez sem saber", diz. Atletas e mulheres muito magras podem parar de menstruar por conta do peso baixo. E, assim, não perceberem que estão grávidas até o quinto, sexto mês, quando a barriga, enfim, fica evidente -- ou até mesmo sem barriga.

Quais são os sintomas da gravidez?

Os sintomas mais comuns de gravidez são as náuseas, vômito, cólicas, inchaço e dor nos seios. Mas nem todas têm os sintomas, e eles também podem ser sinais de que a menstruação está para vir. O que as especialistas recomendam é que, por precaução em caso de relação desprotegida, a mulher faça um exame de sangue para identificar o hormônio Beta HCG, que é capaz de apontar uma gestação logo no começo.

Usar a pílula anticoncepcional sem saber que estou grávida prejudica o bebê?

Não necessariamente. O que acontece é que a mulher está ingerindo mais hormônios do que precisa, mas não significa que o bebê terá algum tipo de má-formação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mães e filhos