PUBLICIDADE

Topo

Amigos não-binários comemoram 1ª ida à praia após mastectomia: "Normal"

Xanthe Zeitstück e Rowan Janiszewski  - Reprodução/Facebook
Xanthe Zeitstück e Rowan Janiszewski Imagem: Reprodução/Facebook

Da Universa

29/05/2019 11h21

Dois amigos norte-americanos que se definem como não-binários -- ou seja, não se identificam nem com o gênero feminino, nem masculino -- decidiram ir juntos à praia pela primeira vez depois de suas mastectomias.

Xanthe Zeitstück, de 20 anos, vive na Geórgia e usou o Facebook para compartilhar a novidade. "Aqui estou eu, na praia, sem camisa, com o meu amigo igualmente não-binário que me ajudou durante minha cirurgia enquanto ainda estava no período de recuperação da cirurgia dele. Enquanto isso, estamos vendo o nosso namorado se divertindo nas ondas".

A publicação, que indica que a dupla de amigos é adepta ao poliamor, dividindo o mesmo namorado, Seran Janiszewskiteve, mais de 2 mil compartilhamentos.

"São três pessoas aproveitando um dia na praia com as pessoas que amam. Quando você tira essa carga política percebe que é uma situação perfeitamente normal", escreveu.

Apesar da felicidade com a estreia de seus novos corpos na praia, os dois disseram que receberam alguns olhares tortos. "Conservadores reagiram como se fosse algo horrível, como se fosse criminoso. Ainda assim, eu me senti muito bem em público, muito natural".

Aos 20 anos, os dois perceberam que não se identificavam nem com o gênero feminino, nem masculino. Depois de fazer terapia e tratamentos de reposição hormonal, desembolsaram 6 mil dólares (o equivalente a 23 mil reais) para fazer a cirurgia.

"Durante toda a minha adolescência e até durante a infância, havia tantas coisas com as quais eu me relacionava a respeito de pessoas transexuais -- mas eu não estava lá. Quando eu tinha 20 anos, finalmente conheci uma pessoa não-binária e percebi que havia uma palavra para isso. Eu descobri que havia uma maneira de fazer a transição sem ter que mudar drasticamente. Tem sido uma jornada para chegar até aqui e é um alívio não ficar constantemente desconfortável e nem sempre tentar esconder certos aspectos de mim mesmo", concluiu Xanthe.

Diversidade