Topo

Brasileira em Game of Thrones: "Consegui trabalhar em minha série favorita"

A publicitária Fernanda Lacerda, de 26 anos, aparece atrás de Jon Snow em cena que foi ao ar neste domingo (12) - Divulgação
A publicitária Fernanda Lacerda, de 26 anos, aparece atrás de Jon Snow em cena que foi ao ar neste domingo (12) Imagem: Divulgação

Elisa Soupin

Colaboração para Universa

14/05/2019 04h00

A publicitária Fernanda Lacerda, de 26 anos, moradora de Piracicaba, estava especialmente ansiosa com o episódio de Game of Thrones do último domingo (12). Além de fã do show, ela foi figurante do penúltimo episódio da série e queria saber se apareceria na telinha -- em meio a mais de 500 figurantes, não existe garantia de que iria ser possível vê-la em meio às cenas.

"Depois do episódio, meus amigos mandaram mensagem falando que tinham me reconhecido", conta ela.

"Em 2016, eu estava procurando informações de lugares para fazer intercâmbio quando vi a história menina em Dublin que havia sido figurante em Game of Thrones, na hora eu pensei: cara, isso é muito legal! Adoro o show. Mas era uma possibilidade remota. Tinha começado a namorar e nem sabia se a viagem ia sair. Acabou dando certo e, em 2017, cheguei em Dublin, destino que eu escolhi entre Nova Zelândia e Canadá pensando em viajar depois que acabassem as aulas, ainda levei meu namorado comigo.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Quando cheguei lá, fui correr atrás de saber como me inscrever para ser figurante. Fiz a inscrição, minha e do meu namorado, e avisei para vários colegas da escola para tentarem também. Você tinha que preencher uma ficha com muitas informações: cor dos olhos, peso, altura, medidas, pé, manequim, foto sem maquiagem. Uma amiga da escola foi chamada no dia seguinte a se inscrever! Meu namorado foi chamado umas dez vezes e, comigo, nada. Fiquei me sentindo super rejeitada, porque eu amava o programa.

Comecei a trabalhar como babá, cuidando de quatro crianças irlandesas. Até que um dia, vários meses depois, chegou um email me chamando, e perguntando como era minha disponibilidade para mais de 30 datas. Tudo isso para gravar um único episódio, o cinco, que foi ao ar no dia 12.

Aceitei todas! Meu curso já estava no final e quase não perdi aulas, ainda bem. Eu morava em Dublin, na Irlanda, e as gravações eram em Belfast, na Irlanda do Norte, e começavam supercedo. Então, eu acordava 23h em Dublin, comia, me arrumava, e ia andando por 5km até o local em que pegava um ônibus porque lá não tem mais transporte depois de certo horário. Chegava em Belfast e ainda andava mais 1km até onde as gravações aconteciam: emagreci 6 kg.

Como babá, eu ganhava 60 euros por dia, por 6h de trabalho. Como figurante, eu ganhava 100 libras por dia (cerca de R$ 515). Quando a gente passava de 6h de gravação por dia, o valor aumentava. Já cheguei a receber 165 libras (R$ 850) por dia de trabalho.

Reprodução
Imagem: Reprodução

A estrutura era imensa. Eram mais de 500 figurantes. Existia um galpão gigante e, lá, em uma parte tinha um café da manhã muito reforçado, com tudo do bom e do melhor, em outra, ficava o figurino, depois, a maquiagem, e tinha uma área para as crianças. Era gente de todo o tipo e todas as etnias: alto, baixo, gordo, magro, branco, preto, pardo.

Eu gosto muito de moda e achei muito curioso como o figurino era uma única roupa que ia passando por adaptações. Como se fosse uma túnica solta, que ia sendo adaptada com um pano imenso, que às vezes era um capuz, depois podia estar sem capuz, às vezes virava um vestido. Em dias de batalha, você chegava e a roupa estava com sangue. Em outros dias, estava com cinzas. A gente também passava vaselina no cabelo, para parecer sujo. Faziam a nossa unha com terra. Complicado mesmo eram os dias que tinha que sair com sangue no cabelo, ficava uma massa, tudo grudado. As pessoas olhavam para mim com nojo no ônibus da volta.

Tudo que você vê em casa é como é lá: fogo é fogo, água é água, chuva é chuva e vento é vento. O dragão é uma bola verde no céu. Nas gravações das cenas de ontem estava muito calor, por conta do fogo e do verão: foi em julho do ano passado.

Aviso: adiante, o relato de Fernanda contém spoilers sobre o episódio de Game of Thrones que foi ao ar no último domingo

Mesmo lá, a gente não tinha total ideia do que estava acontecendo. Chegamos a pensar que a Daenerys estava morta, porque a gente encontrava todos os personagens, mas ela não. Achávamos também que a Arya poderia morrer naquele episódio, porque a gente só a via toda arrebentada. A única coisa que dava para ter certeza era de que o Jon estava muito chateado e o Verme Cinzento com muita raiva, mas ninguém sabia o porquê.

A Arya (Maisie Williams) é mais bonita ao vivo, mas não era muito simpática, parecia muito focada, trabalhava muito, mas não dava um sorriso e nem olhava na cara dos figurantes. Com o Cão (Rory McCann), a gente via que ela brincava muito. Ele, o Jon (Kit Harington), o Jaime (Nikolaj Waldau) e o Verme Cinzento (Jacob Anderson) eram supersimpáticos e queridos. Davam atenção para os figurantes que os abordavam. Celulares eram terminantemente proibidos lá, então, não tenho foto nem com o figurino, nem com nenhum dos atores.

Depois que as gravações acabaram, fui viajar para conhecer outros locações de Game of Thrones, fui para Malta e para a Croácia, lugares que conheci e quis visitar por causa da série. Depois de quase um ano de espera, foi muito legal ver o resultado e me ver na produção que eu adoro.

Minha história