Topo

8 sinais de que seu parceiro está tentando impor um relacionamento abusivo

Claudia Dias

Colaboração para Universa

06/05/2019 04h00

Viver um relacionamento abusivo nem sempre é claro, para quem está dentro dele, como é para aqueles que olham de fora. Entre as nuances que permeiam esse tipo de conexão, a vítima pode cair ingenuamente em uma armadilha ou chegar ao ponto de não discernir o que é aceitável ou o que já ultrapassou o limite do bom senso.

Com ajuda de especialistas, listamos atitudes não tão evidentes, que podem apontar uma emboscada. Caso se identifique com uma ou mais situações, redobre a atenção e, se necessário, busque ajuda.

1. Declarar "eu te amo" na primeira semana

Tudo que acontece rápido demais pede certa desconfiança. Em uma relação saudável, mesmo quando rola o tal "amor à primeira vista", existe o amadurecimento da ideia. O ser humano costuma checar e rechecar suas opiniões, antes de expressar o que pensa. Além disso, não envia mil mensagens, pede ou oferece infinitas coisas como se não houvesse amanhã. Uma relação boa anda devagar, pautada em muito respeito pelo outro.

2. Falar mal de família e amigos

O isolamento social pode começar assim, implicando com pessoas próximas, criticando aqui e ali até que, de repente, surge uma briga, uma enorme demonstração de ciúme. Numa condição mais sutil, ocorrem pitacos maldosos para cada membro da família ou amigo. Mesmo se existir algum tipo de incômodo, quem ama vai exercer a tolerância e respeitar o espaço e as relações do outro.

3. Criticar atitudes

Censurar o modo que come, dorme, se veste ou fala, entre inúmeras outras circunstâncias, é evidência clara de alguém querendo podar o outro. São formas de explorar o poder, num exercício de constrangimento. A regra é clara: apesar de, às vezes, termos de nos adaptar ao outro, isso não deve ser feito em detrimento de nossos próprios limites. Há coisas que não podem ser mudadas e o parceiro deve aceitar isso.

4. Não assumir erros e fracassos

Comportamento típico de um abusador é que ele nunca admite ser responsável por sentimentos ruins, falhas e derrotas. É sempre culpa do outro. Uma atitude saudável e madura implica em reconhecer erros e até um certo grau de tristeza por ter falhado, além de aceitar as consequências dos atos.

5. Não querer que trabalhe fora

Quando o homem impede a mulher de seguir sua carreira (mesmo usando desculpas do tipo "você não precisa disso"), explora a vantagem da condição financeira e se estabelece numa posição superior por ter dinheiro, levante a antena: podem haver episódios de humilhação em público; por exemplo, quando o homem, "dono do dinheiro", reprova as opiniões da mulher na frente de outras pessoas.

6. Forçar o sexo

Mais comum nos consultórios médicos do que se imagina, os relatos de mulheres que são forçadas a transar mostram que, além de abusivo, tal comportamento é crime.

7. Tratar como empregada

O machismo, ainda presente em muitas relações, muitas vezes faz com que o parceiro repita com a esposa o comportamento que o pai costumava manter com a mãe. A mulher acaba provendo todas as necessidades domésticas para o homem, que nunca ajuda nos afazeres da casa.

8. Só dizer que gosta de algo

Uma outra maneira velada de abuso é quando o parceiro diz que aprecia fazer as mesmas atividades que o par, mas quando se dedicam, juntos, a tal ocupação, ele sempre parece desinteressado e até entediado. Com a repetição da experiência, a mulher começa a abrir mão do que gosta de fazer para evitar situações do gênero.

Fontes: Alexandre Pedro, psicanalista, master practitioner de PNL e hipnoterapeuta; Luiz Scocca, psiquiatra; Mario Louzã, psiquiatra e doutor em Medicina; Moisés Luz, psicólogo clínico; Stephanie Moulton Sarkis, terapeuta, especialista em clínica de saúde mental e autora de "O Fenômeno Gaslighting"

Violência contra a mulher