Topo

Pausa

Pare, respire e olhe o mundo ao redor


5 motivos para maratonar "O Conto da Aia" (ainda dá tempo)

Cena da série "The Handmaid"s Tale", com Elizabeth Moss ao centro - Divulgação/Hulu
Cena da série "The Handmaid's Tale", com Elizabeth Moss ao centro Imagem: Divulgação/Hulu

Da Universa

02/05/2019 10h03

"O Conto da Aia", ou "Handmaid's Tale" no nome original, é dessas séries que nos causam um misto de sensações tão distópicas quanto seu próprio enredo.

E não é para menos: na história, as mulheres que ainda são férteis passam a servir de escravas sexuais para famílias ricas, depois que um regime ultraconservador assume o poder e transforma o que um dia foi os Estados Unidos em Gilead. É nesse cenário agonizante que a protagonista Offred, interpretada pela premiadíssima atriz Elisabeth Moss, precisa sobreviver. Não é para fracos.

E quem acompanha a produção já deve estar na contagem regressiva para a estreia da terceira temporada, que teve seu trailer divulgado pelo serviço de streaming Holu nessa semana.

E se você ainda não teve coragem de dar play na série, nós te damos cinco motivos para começar a maratona já. Os novos episódios começam a ser exibidos dia 5 de junho. Corre que ainda dá tempo!

1. Retrata uma verdade atual

"Handmaid's" dificilmente vai causar o mesmo impacto se você não for uma mulher. E por quê? A produção, apesar de ser uma obra ficcional, pode ser uma verdade atual se pensarmos no momento do país. São mulheres que sofrem abusos sexuais e psicológicos na mão de homens poderosos em uma sociedade em que são eles que mandam.

via GIPHY

2. A fotografia é excelente

Sabe quando você assiste à um filme e fica literalmente boquiaberto? Em Handmaid's o drama da historia também está nas cores escolhidas para retratá-la. E é justamente por causa da fotografia que o ambiente nos causa ainda mais angustia. O que falar dos planos mais abertos que reforçam toda a opressão sofrida pelas Aias? Trabalho digno de longas-metragem.

via GIPHY

3. Tem Elisabeth Moss como protagonista

Muita gente deve se lembrar da atriz na pele da personagem Peggy, em "Mad Man". Mas foi na série inspirada no livro de Margareth Wood que ela literalmente brilhou e alçou voo. A gente sofre com ela, torce por ela e até chora por ela. Existe tanta verdade ali que Moss levou para casa o Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série Dramática.

via GIPHY

4. Mostra a força das mulheres

Nas duas temporadas da séria fica claro que os principais desdobramentos só se tornam possíveis porque as mulheres se unem. Existe muita sororidade, afinal são mães separadas de seus filhos que sofrem juntas e precisam lutar por um objetivo comum: acabar com Gilead.

via GIPHY

5. É superpremiado e tem um baita elenco

Além de Elisabeth Moss, a série ainda traz nomes como Alexis Bledel, que ficou conhecida em "Gilmore Girls", Yvonne Strzechowski, Ann Dowd, Samira Wiley e Joseph Fiennes. Não à toa a produção ganhou prêmios como Globo de Ouro, Emmy Awards, Critics' Choice Television Awards e Screen Actors Guild.

via GIPHY

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informamos anteriormente, Gilead é uma religião fictícia.

Pausa