Topo

DIU: tire suas principais dúvidas sobre o método contraceptivo

O método ainda é cercado de dúvidas e mitos - Getty Images/iStockphoto
O método ainda é cercado de dúvidas e mitos Imagem: Getty Images/iStockphoto

Ana Clara Barbosa

Colaboração para Universa

01/05/2019 04h00

Existem muitas dúvidas sobre o uso do DIU. Mulheres que não tiveram filhos podem colocá-lo? O risco de gravidez é alto com esse método? Engorda? São vários questionamentos e, para respondê-los, conversamos com Ana Paula Aquino, sócia da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia e médica ginecologista da Huntington Medicina Reprodutiva.

O que é o DIU?

O DIU é um dispositivo de plástico colocado dentro do útero, normalmente com a forma de um T. Existem diferentes tipos: o de cobre, o de hormônio, também conhecido como Mirena, e o de prata com cobre, que é um modelo mais novo.

Como funciona?

O DIU de cobre, que não tem hormônio nenhum, libera esse cobre diariamente, e isso produz uma reação química impedindo que o espermatozóide fecunde o óvulo. O DIU de cobre com prata funciona da mesma maneira, a única diferença é que ele ajuda a diminuir alguns efeitos colaterais.

Já o hormonal, com etonogestrel, deixa o endométrio inapropriado para a fecundação.

Quais são as vantagens do DIU?

Ele é muito vantajoso porque a mulher não precisa ter a preocupação de ingerir um remédio, de ter horário. A sua duração também é um ponto positivo: 10 anos para o de cobre e 5 anos para o hormonal.

O DIU Mirena ainda pode ser benéfico para pacientes que têm anemia e reduz as cólicas menstruais.

Qualquer mulher pode colocá-lo?

O DIU pode ser usado por qualquer mulher: adolescentes depois da primeira menstruação, com filhos, sem filhos, em idade avançada. A diferença é o DIU pode sair do lugar mais facilmente naquelas que não tiverem filhos, por elas terem um útero menor, mas isso não é uma regra.

No entanto, o Mirena não é recomendado para mulheres que já tiveram câncer de mama, com predisposição ou que já tiveram trombose e para aquelas com alguma doença de fígado.

Onde comprá-lo? Qual o preço?

O DIU é vendido em farmácias especializadas e pode ser adquirido pelo médico ou pela própria paciente. O DIU de cobre custa em torno de R$ 200, já o hormonal R$ 800. Para colocar o dispositivo, o preço varia muito de clínica para clínica, mas geralmente o valor é de R$ 500 a R$ 1.000. Lembrando que o dispositivo deve ser colocado por um médico e o procedimento é disponibilizado pelo SUS!

O DIU pode sair do lugar? Por quê?

O DIU pode sair do lugar pelo tamanho do útero e pela contração uterina. Se a mulher tem muitas cólicas, por exemplo, pode acontecer. O ideal é fazer um ultrassom nos primeiros dias depois de colocá-lo para verificar se ele está no lugar certo. Depois de um mês, repetir o procedimento. O ultrassom deve ser feito anualmente para conferir se o dispositivo não saiu do local.

Isso pode acontecer tanto com o DIU de cobre quanto com o Mirena. Mas o segundo, por ter hormônio, não precisa ser retirado se sair do lugar, porque continua fazendo efeito. Já o de cobre precisa ser retirado nesses casos, porque ele não protege mais a mulher quando não está no lugar correto.

A mulher para de menstruar quando põe o DIU?

A mudança menstrual não é uma regra, ela pode variar de mulher para mulher. A tendência é que, com o Mirena, a menstruação diminua ou até mesmo cesse.

Já o de cobre, em alguns casos, pode resultar no aumento menstrual. Isso normalmente acontece nos primeiros meses e depois melhora. Por isso, se o fluxo menstrual já é muito intenso, este DIU não seja a melhor opção.

Quais são os seus efeitos colaterais?

O DIU mirena pode ter os efeitos colaterais muito parecidos com o da pílula anticoncepcional: acne, dor de cabeça, dor ou sensibilidade aumentada na mama, leve ganho de peso por retenção de líquido, mudanças de humor e diminuição da líbido. Já o de cobre tem como possível efeito o aumento do fluxo menstrual.

Para ambos os casos, as reações podem variar de mulher para mulher.

Dói para transar?

Não dói. O único incômodo que a mulher pode ter é uma dor parecida com a cólica nos primeiros dias, mas por conta da inserção do DIU, e não pelo sexo. Às vezes o parceiro pode sentir o fio incomodar o pênis, mas isso só ocorre quando ele foi cortado muito curto. Se deixá-lo um pouco mais longo, ele não afeta em nada durante a relação sexual.

O efeito é imediato?

Sim. O DIU já protege a partir do momento em que ele é colocado.

Qual a diferença de liberar hormônio ou não?

As maiores diferenças estão nos efeitos colaterais. Mas, por conter hormônio, o DIU mirena protege mais. Ainda assim, os índices de gravidez são muito baixo para os dois modelos. Para o hormonal, a chance é de 0,2%, já o de cobre 0,7%.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Papo de vagina