Topo

Diversidade


Quem é Lachlan Watson, artista não-binário que faz homem trans em "Sabrina"

Lachlan Watson e Kiernan Shapka em cena de "O Mundo Sombrio de Sabrina" - Divulgação
Lachlan Watson e Kiernan Shapka em cena de "O Mundo Sombrio de Sabrina" Imagem: Divulgação

Da Universa

19/04/2019 18h49

Lachlan Watson nasceu uma menina em Ralegh, nos EUA. Dos 3 aos 15 anos, se identificou como um homem transgênero. Atualmente, aos 18, se vê como uma pessoa não-binária. Nenhum artista poderia ser melhor para interpretar Susie/Theo, personagem transgênero de "O Mundo Sombrio de Sabrina", da Netflix.

Na série, inspirada nos quadrinhos de Roberto Aguirre-Sacasa, Susie é uma garota de cabelo curto e masculinizada, uma das melhores amigas da protagonista Sabrina Spellman, feita por Kiernan Shipka. Nos novos episódios da atração, a adolescente entra para o time de basquete, revela que se identifica com o gênero masculino e passa a ser chamado de Theo.

Além de não-binário, Watson também é pansexual, sente atração por pessoas independentemente de seu gênero. "Eu já 'saí do armário' três vezes na minha vida, e agora, incluindo Susie, foi a quarta vez," disse em entrevista ao BuzzFeed norte-americano. "Vai ser muito interessante passar pela mesma situação outra vez, agora de um ponto de vista diferente, e criar uma nova pessoa, linda e forte."

Em "O Mundo Sombrio de Sabrina", Susie diz que se identifica com o gênero masculino e passa a ser chamado de Theo - Divulgação
Em "O Mundo Sombrio de Sabrina", Susie diz que se identifica com o gênero masculino e passa a ser chamado de Theo
Imagem: Divulgação

Do teatro, pelo Skype para a Netflix

Esta, no entanto, não é a estreia de Lachlan no mundo da dramaturgia. Inicialmente, Watson foi artista-mirim, quando se apresentava no teatro em que sua mãe trabalhava. Fez muitos trabalhos no teatro e teve pequenos papéis em séries como "Nashville" e "Drop Dead Diva". Passou, em 2015, uma temporada no elenco de "Muito Barulho por Nada", de Shakespeare.

Em 2016, Watson decidiu enviar um vídeo para a audição de "O Mundo Sombrio de Sabrina", encenando um monólogo em que um personagem se assume transgênero. Apenas uma hora depois de mandá-lo, produtores da atração entraram em contato para agendar uma conversa por vídeo. "Eles me perguntaram sobre minha vida, como eu me identificava com o personagem e o que mais eu podia trazer de informação para eles em relação à identidade de gênero queer," disse Lachlan.

A audição fez os roteiristas mudarem o personagem que interpretaria. Originalmente, o papel era para fazer Orlando, um menino cisgênero --ou seja, que se identifica com o gênero que lhe foi designado ao nascer. Diante do vídeo, os realizadores perguntaram se Lachlan toparia interpretar uma garota adolescente que se descobriria transgênero. "Eu acho que a forma como eu me expresso quanto à minha identidade ajudou [os produtores] a entenderem que rótulos não são tudo e que podemos usar melhor nosso tempo focando no papel", falou.

Bullying na tela

Em "O Mundo Sombrio de Sabrina", Susie sofre bullying dos integrantes do time de basquete da escola, que tentam levantar sua camiseta para ver se ela tem seios e chegam a agredí-la. Apesar de ter se descoberto uma pessoa não-binária bem cedo, Lachlan não passou por esse tipo de situação na vida real, mesmo tendo frequentado uma escola de 200 alunos em uma cidade pequena. "Serviu para abrir meus olhos para as lutas que pessoas que se declaram abertamente queer enfrentam nesse mundo," afirmou. "Isso é algo que eu esqueço com frequência. Passar por essa jornada com a Susie me lembrou como é perigoso ser você mesmo nesse mundo."

No Instagraml, Lachlan diz que prefere, em sua bio, pronomes neutros --em inglês, são usados os termos they/them (eles, deles, em português). Watson não tem problema nenhum em transitar por diversos padrões de gênero. Aparece de cabelos curtos e coloridos, sem camisa, com salto alto e vestido longo. Às vezes vestindo roupas super-femininas, outras mais andrógenas, algumas vezes masculinas. Participou, inclusive, do Desafio dos 10 anos em que aparece ainda como uma garota. "Estou exatamente igual, apenas o meu cabelo está mais longo", escreveu na legenda.

Seja em seu papel na série da Netflix ou em suas fotos nas redes sociais, Lachlan pretende mostrar para outras pessoas queer e para a sociedade que não é preciso escolher um apenas caminho --um guarda-roupa ou um gênero-- para ser feliz. "Você pode construir seu próprio caminho, e pode fazer isso de maneira brilhante."