Topo

Mães e filhos

Sem gastar à toa: blogueiras ensinam como escolher enxoval do filho

Já decidiu o que vai comprar para o bebê que vai chegar? - PeopleImages/IStock
Já decidiu o que vai comprar para o bebê que vai chegar? Imagem: PeopleImages/IStock

Claudia Dias

Colaboração para Universa

11/03/2019 04h00

São nove meses de ansiedade, expectativa e um certo trabalho com os preparativos para a chegada do novo membro da família. Além de cuidar da saúde, pais e (principalmente) mães se veem diante da tarefa de garantir que tudo esteja perfeitamente organizado até o nascimento, inclusive o guarda-roupa do novo ser humaninho. 

Nessa jornada, muita gente erra a mão, comprando itens desnecessários ou escolhendo peças inadequadas, por exemplo -- nada que não se resolva com ajuda de quem tem experiência.

Duas das maiores blogueiras de maternidade do país, Nívea Salgado (blog Mil Dicas de Mãe) e Shirley Hilgert (do Macetes de Mãe), lançaram recentemente o livro "Grávida e prática: um guia sem rodeios para as mães de primeira viagem" (Editora Memória Visual).

Entre os vários assuntos abordados, do bem-estar da gestante à definição da maternidade, há três capítulos inteiros dedicados à preparação do enxoval. Aqui, Nívea e Shirley dão dicas certeiras para a seleção das roupinhas dos bebês.  

As 9 roupinhas mais usadas

Pelo menos nos primeiros meses de vida, o abre e fecha das gavetas será motivado por algumas peças específicas. As autoras defendem que um enxoval pode e deve ser enxuto, focado em necessidade -- e não em consumo --, de acordo com os hábitos de cada família. 

Mas para quem está perdido nesse território desconhecido, listamos os itens mais utilizados pelos babies. "Como os bebês crescem rapidamente, é bom ter uma ideia da quantidade a ser comprada, para que se tenha realmente o necessário, sem grandes faltas ou excessos", comenta Nívea. 

1. Body (com manga curta e longa)

Quantidade ideal: entre 24 e 30 peças, distribuídas entre as fases 0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses - ou seja, 8 a 10 unidades por faixa etária. Para meses de frio, providencie mais unidades de manga longa (7 longas e 3 curtas). Já na época mais quente, inverta o cálculo (7 bodies mais curtos e 3 longos). Dependendo do clima e das regiões do país, vale adotar as proporções 6 x 4 ou 8 x 2.

Dica das experts: "Prefira as peças de algodão e os modelos com decote canoa, transpassados no ombro, que possibilitam que essa peça seja tirada por baixo. Isso é muito útil no caso de o cocô ou o xixi vazar e sujar o body. Assim, não passa pela cabeça e pelo rosto do bebê na hora da troca", diz Shirley.

2. Macacão (manga curta e longa)

Quantidade ideal: 6 peças por faixa etária (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses), totalizando 18 macacões. 

Dicas das experts: em lugares de frio, entre maio e setembro, priorize os modelos com pezinhos, garantindo que a criança fique sempre com a perninha coberta. Peças com abertura frontal são mais práticas.

3. Culote (mijão)

Quantidade ideal: 4 a 5 unidades para cada fase (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses), ou seja, 12 a 15 mijões.

Dica das experts: "Como é uma peça para ser usada por baixo de outras, dê prioridade aos modelos lisos e de cores claras, para evitar que apareçam estampas por baixo das roupas. Culote com pezinho ajuda a manter o pé do bebê aquecido", pontua Nívea.

4. Casaquinho

Quantidade ideal: 1 peça para os meses de calor e 2 para o frio em cada fase (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses)

Dicas das experts: enquanto o bebê for mais novinho, opte por itens de linha e malha, mais macias. Prefira fechamento com botões, pois o zíper pode incomodar o filhote.

5. Calça

Quantidade ideal: 5 a 6 unidades para cada idade (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses)

Dica das experts: malha, algodão e plush são os tecidos mais confortáveis. 

6. Bermuda (incluindo short e jardineira)

Quantidade ideal: 5 a 6 peças por fase de vida (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses), contemplando todos os modelos (bermudinhas, shortinhos e jardineiras/ macaquinhos)

Dica das experts: "Apesar de lindas, as jardineiras acabam não sendo tão confortáveis nos meses quentes, porque cobrem mais o corpo do que uma bermuda ou um short", observa Shirley.

7. Camiseta (incluindo camisas e camisas polo)

Quantidade ideal: 8 a 10 peças ao todo para cada fase (0 a 3 meses, 3 a 6 meses e 6 a 9 meses), sendo divididas entres os três modelos, dando preferência para as camisetas, mais práticas e confortáveis. Nos meses frios, a maioria deve ser de manga comprida. 

Dica das experts: "Camisetas de manga curta são uma boa pedida para os dias quentes, pois ficam menos agarradas ao corpo que os bodies e possibilitam que o bebê se refresque mais", observa Nívea.

8. Vestido

Quantidade ideal: 3 a 4 unidades da peça-coringa no guarda-roupa das garotinhas, para cada fase (0 a 3 meses, 3 a 6 meses, 6 a 9 meses).

Dicas das experts: o vestidinho pode ser aproveitado como um camisão, quando o bebê crescer, combinando bem com legging. Vestidinhos-bodies (um body com saia por cima) são muito práticos.

9. Meia (incluindo meia-sapatinho e meia-calça)

Quantidade ideal: 3 a 4 unidades para cada fase (0 a 3 meses, 3 a 6 meses, 6 a 9 meses). A quantidade deve ser um pouco maior se o culote/mijão não tiver pezinhos.

Dicas das experts: melhor investir em meias-sapatinhos e meias-calças em vez de sapatinhos, que geralmente caem dos pés dos bebês e são difíceis de calçar. Dê preferência para meias-calças de algodão, mais confortável que nylon e outros tecidos sintéticos.

Pense no segundo filho

Famílias que gostariam de ter um segundo filho podem considerar essa possibilidade nas compras para o primogênito. Nesse caso, algumas dicas podem ser bem úteis:

  • Priorize peças de qualidade e durabilidade e que sejam versáteis. Criança vive se arrastando e esfregando no chão, o que detona itens mais frágeis.
  • Roupas de cores neutras e unissex são melhor aproveitadas. Estampas variadas - estrelas, formas abstratas, nuvens etc - casam bem em diferentes situações e perfis.
  • Vale guardar: roupinhas e sapatinhos que o bebê usou pouco, ou seja, quase tudo da fase de recém-nascido. "A partir de um ano, a criança movimenta-se muito e tende a estragar mais as peças do vestuário", opina Shirley.
  • O que não compensa manter: meias, cuecas e calcinhas, que não duram muito, além de peças em excesso. O segundo filho não vai usar mais itens que o primeiro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mães e filhos