PUBLICIDADE

Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


Transforma

8 notícias sobre machismo que nunca mais gostaríamos de dar no Carnaval

da Universa, em São Paulo

02/03/2019 13h47

A cada Carnaval, os casos que se tornam públicos de violência, seja ela física ou moral, contra as mulheres só aumentam. E, apesar de ser positivo que eles sejam denunciados, para que possam ser discutidos pela sociedade e, onde cabível a medida, punidos, seria ainda melhor que não ocorressem.

Veja 8 notícias que, aqui em Universa, não gostaríamos mais de repetir a cada folia:

1. O escrutínio público dos seios de Bruna Marquezine

Um dos assuntos mais discutidos do Carnaval de 2018 foram os seios da atriz, que foi duramente criticada e até verbalmente agredida pelo formato natural do seu corpo na fantasia que usou para curtir o Bloco da Favorita, no Rio. Segundo internautas, Bruna teria o peito 'caído', 'murcho', e deveria até ter 'turbinado' com silicone. Como bem lembrou nossa colunista Luiza Sahd, o corpo é dela e com quem ele faz o que quiser, sem a necessidade de receber comentários tóxicos.

2. O aumento da violência contra LGBTs nos blocos

Grandes eventos públicos com aglomerações de pessoas têm, com frequência, um aumento nos registros de violência naquela área. No entanto, as agressões contra LGBTs têm números desproporcionais em relação ao restante da população. Mulheres lésbicas e bissexuais sofrem, em média, 7 vezes mais assédios e abusos sexuais do que homens heterossexuais, segundo uma pesquisa do coletivo Vote LGBT de 2018 com 1.170 pessoas. 

3. O medo de assédio da atriz Marcela Fetter

A atriz de "Malhação: Seu Lugar no Mundo" afirmou ao UOL em 2017 que já havia deixado de pisar nos bloquinhos de rua porque se irritava com o assédio. Ou seja, Marcela teve o seu direito de ir e vir -- e se sentir segura -- em qualquer lugar comprometido por causa das agressões durante as festas do Carnaval.

4. Uma adolescente ser mordida por recusar um beijo

Marca da agressão de adolescente em Niterói - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Uma garota de 16 anos foi mordida no pescoço após recusar o assédio de um garoto da mesma idade durante o bloco de Carnaval "Vou Zuar", em Niterói, Rio, no domingo (17). Tanto a vítima quanto o agressor foram encaminhados à 17ª Delegacia de Polícia para registrar a ocorrência. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Niterói, onde ambos prestaram depoimento e a prefeitura de Niterói precisou lembrar, através das redes sociais, que "não é não".

5. Uma mulher levar socos no rosto após ser apalpada em uma festa

A bióloga Elisabeth Henschel, 23, estava em um bar na Lapa, no centro do Rio de Janeiro, na madrugada de segunda-feira (27) quando foi apalpada por um homem. Ao procurá-lo para tirar satisfações, levou dois socos no rosto - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Em 2017, A bióloga Elisabeth Henschel estava em um bar na Lapa, no centro do Rio de Janeiro, na madrugada da segunda-feira de Carnaval quando foi apalpada por um homem. Ao procurá-lo para tirar satisfações, levou dois socos no rosto.

6. As ofensas gordofóbicas contra uma Thais Carla fantasiada

A bailarina, conhecida por seu trabalho com Anitta, foi agredida nas redes sociais no domingo (24) após mostrar sua fantasia para o bloco de Preta Gil. "Se isso é bonito? O mundo tá perdido. E ai da pessoa que acha isso lindo, esse monte de gordura dependurado", pôde ser lido em outro comentário, além de xingamentos de "monstro", "ridícula", "labareda do inferno" e outras agressões gratuitas pipocaram na foto em que Thais apenas compartilhava sua alegria na festa.

7. Uma mulher apanhar e ter sua roupa arrancada

Carolina Froes, que foi agredida no bloco Casa Comigo - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Em 2017, a estudante Carolina Froes foi agredida em um bloco de São Paulo. Um homem arrancou a parte de cima de sua roupa e, quando ela reagiu, ele a agarrou pelo pescoço, enforcou e jogou no chão, contou ela ao UOL. Segundo ela, seu agressor foi embora rindo. 

8. Uma atriz ter que explicar sua opção pelo topless nas ruas

Maria Casadevall foi ao bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, em São Paulo, no domingo (24) com os seios à mostra e apenas uma mensagem: "ele não". No entanto, após a imagem repercutir, ela disse que sua escolha só foi possível por ter o privilégio dado às pessoas públicas e brancas por se sentir segura em não ser agredida. Maria ainda pediu desculpas às mulheres que pudessem se sentir ofendidas com a opção feita por ela. No entanto, pontuou Mariana Ximenes, Maria tem autonomia sobre o próprio corpo e direito a fazer o que quiser dele.

Transforma