PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Cortando o clima: 6 coisas que mulheres odeiam ouvir no sexo

Por falta de comunicação e expectativas altas, algumas pessoas dizem a coisa errada na hora H - Getty Images/iStockphoto
Por falta de comunicação e expectativas altas, algumas pessoas dizem a coisa errada na hora H Imagem: Getty Images/iStockphoto

Jacqueline Elise

Da Universa

26/02/2019 04h00

Sexo é para ser gostoso para todos os envolvidos, mas tem horas que a falta de comunicação gera situações, no mínimo, embaraçosas: o que soa sensual para uns pode cortar o clima de outros. Aqui, listamos os relatos de mulheres que perderam o tesão por causa de uma frase errada:

"Ai que gostoso" e "Você não vai gozar logo?"

"Um guri com quem eu estava ficando não parava de falar 'isso é tão bom, ai tá tão gostoso' durante a transa. Minha vontade era falar 'meu amor, eu transo bem e sei disso', e mandá-lo calar a boca. A mesma figurinha também já soltou um 'você não vai gozar logo?'. A única coisa que consegui fazer foi fingir que gozei, mandá-lo embora às três da manhã e terminar a ficada".

Camila*, 20, de Pelotas (RS)

"Quem é o seu pauzão?"

"Tinha um amigo com quem fiquei e transei algumas vezes. Eu até gosto de ouvir a pessoa dizer algumas coisas durante o sexo, só que ele soltou a frase 'quem é o seu pauzão?'. Rolou também uma insistência para eu responder. Aquilo era ele se achando muito bom porque tinha pau grande. Acho que ele deveria se gabar por coisas que ele faz, não por coisas que nasceram prontas".

Rahely Lopes, 26, de Niterói (RJ)

Cantou uma música na hora do sexo

"Já tinha ficado com ele algumas vezes antes, e o sexo sempre foi bom. Dessa vez, botamos música porque estava cedo e queríamos disfarçar os barulhos. No meio do rala e rola, ele começou a fazer um amorzinho mais devagar e veio no meu ouvido cantar uma poesia. Empurrei-o e mudei a posição para tirar o bendito do meu ouvido. Eu estava bêbada, querendo rir e tendo que me controlar".

Brenda*, 19 anos, do Rio de Janeiro (RJ)

Transando em línguas

"Já transei com um cara que gemia em inglês. A gente estava lá no bem bom e ele começou a gritar 'oh, yeah, oh, yeah' quando ficou mais excitado. Não aguentei e dei muita risada. Ele parou e ficou meio constrangido".

Larissa Sales, 26, São Paulo (SP)

"Quer leitinho?" e "vem mamar, cachorra"

"Se tem uma coisa que eu não aguento é quando cara usa umas expressões grosseiras sem intimidade. Tive um ficante que soltou nas preliminares: 'quer leitinho?'. Quem acha 'leitinho' uma palavra sensual? Desbaratinei para não ser grosseira, mas ele insistiu e depois me chamou de cachorra no sexo. Poxa, pelo menos pergunta se eu gosto disso, né?".

Olívia*, 25, São Paulo (SP)

Para evitar micos

A psicóloga e terapeuta sexual Paula Napolitano afirma que essa ausência de conversa poderia ser resolvida de forma muito simples, mas que o medo de ofender o outro ainda é muito grande. "As pessoas não sabem como falar do que gostam ou não. Elas ficam com medo do outro achar que é ruim de cama, ou que ele pense que elas não sabem o que estão fazendo. Também acham que é negativo a mulher saber sobre o corpo dela, do que gosta. Mas nós somos os melhores especialistas em nós mesmos, então precisamos compartilhar mais", diz. 

A sexóloga acredita que um dos motivos que levam alguns homens a dizer certas coisas durante o sexo é a pornografia. "O referencial está sempre no filme pornô, mas a realidade não é assim. E quando não atinge essa expectativa, rola muita frustração: eles não querem ter uma performance ruim. Também esperam que a mulher aja de forma objetificada, que gema alto, faça posições loucas", explica.

O melhor, nesses casos, é sempre ter uma conversa franca antes do sexo: falar abertamente sobre o que gosta, como prefere que faça certas coisas, que palavras lhe agradam mais. Caso a mulher não queira ser grossa com o parceiro ou não esteja à vontade para se comunicar, dar dicas de linguagem corporal é a saída. "É possível guiar o corpo alheio, mudar sua posição, dizer 'vamos fazer isso aqui' e mostrar como".

Sexo