Topo

Relacionamentos


Relacionamentos

Amizade colorida: 10 regras básicas pra fazer esse relacionamento funcionar

Climão no sexo casual? Manter esse tipo de relação com alguém pede leveza, sinceridade e liberdade; veja dicas - Getty Images/iStockphoto
Climão no sexo casual? Manter esse tipo de relação com alguém pede leveza, sinceridade e liberdade; veja dicas Imagem: Getty Images/iStockphoto

Claudia Dias

Colaboração para Universa

17/02/2019 04h00

Sexo casual é perfeito para quem busca prazer, sem todas as implicações que envolvem um relacionamento sério. Só que, às vezes, entre uma noite quente aqui e ali, surgem parceiros que merecem um, ou melhor, muitos repetecos, mesmo quando a vontade de se manter sozinha prevaleça. Nessas horas, a amizade colorida é o meio-termo mais indicado entre os dois opostos do jogo sexual.

"Uma grande vantagem (desta situação) para a mulher é a liberdade que ela terá, sem estar vinculada a um relacionamento que, muitas vezes, exige dedicação e tempo", argumenta Vanessa de Oliveira, sexóloga expert em conquista e sedução.

Com a convivência entre dois amigos "coloridos", surge intimidade e confiança, dois pontos positivos extras para o sexo constante. "Permite ter alguém para falar abertamente o que está sentindo", pontua Nelly Kim Kobayashi, sexóloga e parceira da Innuendo. "E a mulher não está transando com um completo desconhecido quando sente vontade de sexo", complementa Vanessa.

Mas para funcionar bem, uma amizade colorida precisa ser muito transparente e ter algumas "regrinhas". Com ajuda de Nelly e Vanessa e das especialistas Naiara O. Mariotto, psicóloga clínica, especialista em relacionamentos e equilíbrio emocional, e Vivian Wolff, coach de vida especializada em mindfulness, listamos alguns parâmetros que precisam ser seguidos para a experiência se manter leve e saudável.

Alinhe expectativas

É sempre bom rolar uma conversa sincera já na primeira fase, para que ninguém se confunda. O papo precisa expor, principalmente, o que se espera do relacionamento alternativo. Quanto mais claro, maior a chance de fluir da forma esperada.

Nada de joguinhos ou cobranças

A amizade colorida é para ser prazerosa, agradável. Caso surjam conflitos e cobranças - de atenção, de comportamento ou de qualquer outra coisa - é que já não está funcionando.

Sem estabelecer "frequência"

Como a proposta é ter uma relação livre de qualquer tipo de amarras, nada a ver colocar os encontros na agenda. Vale deixar que aconteçam de forma natural.

Não romantize nem crie expectativas

Jamais, em hipótese nenhuma, se esqueça de que a amizade colorida é para acontecer com alguém em quem se confia, mas sem sentimentos envolvidos. É só sexo por prazer. Esse "mantra" ajuda a lembrar por que ela existe.

Fuja de situações típicas de namoro

Mesmo que a amizade dos dois seja muito leve, descarte jantares quem possam soar românticos, não frequentem reuniões familiares nem troquem presentes.

Contar para os outros para quê?

Ao não comentar com os demais amigos o que está rolando, evita-se o surgimento de pitacos e questionamentos desnecessários. Quanto menos gente souber, melhor.

Continue na "pista"

Manter-se aberta para conhecer outras pessoas é um passo necessário para que a amizade colorida não seja afetada pela mistura de sentimentos. Ah! Também não vale se chatear se o crush agir da mesma forma.

Sem saber do outro

Aliás, não vale a pena investigar ou perguntar se o par tem outras amizades coloridas. Pode ser só curiosidade mesmo, mas existe o risco da pergunta ser interpretada como cobrança ou interesse em mudar o tipo de relação.

Liberdade para "sim" e "não"

Existir uma amizade colorida não significa obrigação para aceitar todo convite para encontros. Tanto um como outro podem muito bem negar a saída num dia em que não se está disposto ou tem algum outro compromisso. Do outro lado, é importante encarar como "tudo bem".

Amizade pede cuidados: apesar do caráter descompromissado da relação, existe um elo amistoso por trás. Por isso, é bem importante entender os limites e separar os dois tipos de relacionamento para que haja respeito entre ambos.

Sinceridade acima de tudo: e se o sentimento começar a mudar, é preciso comunicar ao outro.

O risco da paixão

Não se pode negar que a amizade colorida ofereça riscos de virar uma cilada. "É um problema recorrente: há mulheres que confundem ou se autoenganam, pois são apaixonadas pelo homem, desejam ter um relacionamento com ele, porém, como não veem reciprocidade, embarcam na amizade colorida como forma de manter contato", revela Vanessa de Oliveira.

Outra possibilidade é o sentimento mudar no decorrer das semanas. "Não mandamos no coração. É possível que um se apaixone, já que existe uma relação de amizade, carinho, cumplicidade e admiração. Aliando tudo isso a uma química sexual maravilhosa, a chance de se transformar em algo a mais é enorme. Se for mútuo, ótimo! É bem provável que vire namoro! O problema é quando o sentimento não é recíproco", opina Vivian.

Se um dos dois se apaixonou, mas o outro não, a situação se torna muito delicada. Para a especialista, cabe aos dois encararem uma conversa sincera, aberta, a fim de decidirem o que fazer. "Amizade colorida não deve ter sofrimento", finaliza a psicóloga Naiara.