PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Mulher põe anúncio de faxina em site e recebe propostas para fazer programa

Fabricia Lima, 21, recebeu por volta de 9 propostas de programa dentro da plataforma - Arquivo Pessoal
Fabricia Lima, 21, recebeu por volta de 9 propostas de programa dentro da plataforma Imagem: Arquivo Pessoal

Natália Eiras

Da Universa

14/02/2019 12h12

A estudante de técnico de enfermagem Fabricia Lima, 21, do Rio de Janeiro (RJ), estava precisando de uma renda a mais, por isso decidiu anunciar seu trabalho como faxineira na plataforma OLX, em que as pessoas podem vender diversos itens e oferecer serviços. Em pouco tempo, recebeu diversas propostas para fazer sexo em troca de dinheiro. "Eu me senti usada, muito mal", fala à Universa. "Eu li as mensagens sem maldade. E se eu tivesse ido até o lugar, o que poderia ter acontecido comigo? Eu poderia nem estar aqui falando com você". 

As mensagens também vieram pelo chat da OLX - Reprodução - Reprodução
As mensagens também vieram pelo chat da OLX
Imagem: Reprodução

A jovem mãe de uma criança de dois anos está querendo complementar a renda para morar com o namorado e fazer a faculdade de enfermagem. Como o fluxo de trabalho estava baixo, decidiu fazer o anúncio no site na noite desta terça-feira (11). Logo ficou desconfiada das mensagens que estava recebendo, de homens perguntando se ela poderia ser "acompanhante". Isto mesmo tendo o cuidado de não incluir nenhuma foto no anúncio. "Mostrei para a minha mãe e perguntei se era o que eu estava achando que estava acontecendo. Ela confirmou e eu apaguei o anúncio. Eu nem sabia o que era ser acompanhante até então", diz. Ela achou, inicialmente, que recebeu esse tipo de mensagens por ter dado informações demais no descritivo do anúncio, por isso fez um novo sem revelar tantos dados. "As propostas continuaram. Foram, ao todo, nove homens que me chamaram no WhatsApp para me oferecer dinheiro em troca de sexo".

De acordo com Fabricia, alguns homens foram educados e aceitaram bem quando ela disse que não estava na plataforma para oferecer este tipo de serviço, porém outros mandaram mensagens com palavras de baixo calão inclusive dentro do chat da OLX. "Teve um cara que perguntou quanto eu cobrava para gozar com ele durante duas horas", narra. 

Homens a assediaram no chat da plataforma e no WhatsApp - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Homens a assediaram no chat da plataforma e no WhatsApp
Imagem: Reprodução/Twitter

As mensagens vieram após eles verem a foto no WhatsApp da estudante - Reprodução - Reprodução
As mensagens vieram após eles verem a foto no WhatsApp da estudante
Imagem: Reprodução

A estudante ficou bastante indignada com a situação e resolveu expô-la em seu Twitter, onde os prints das conversas têm ganhado repercussão. "Teve gente que falou que eu estava inventando, por isso publiquei as imagens", explica. Fabricia acredita que o fato de ser uma mulher jovem e negra contribuiu para que os homens chegassem à essa conclusão mais rapidamente. "Teve um que falou que era o sonho dele ter relações sexuais com uma mulher negra. Outros falavam que eu era jovem demais para fazer faxina, que eu devia fazer outro tipo de coisa com eles", afirma. 

Para Fabricia, a OLX deveria criar mecanismos para evitar que mais mulheres passem pelo mesmo que ela. "Ouvi outros relatos de meninas que estavam vendendo vestido, livros, e que receberam esse tipo de mensagem também", diz. "Por exemplo, a plataforma poderia impedir que textos com palavrões fossem enviados dentro do chat deles". Além disso, a estudante diz que os homens também deveriam respeitar mais as usuárias da plataforma. "Teve muito 'pai de família' que veio falar comigo. Eu não quero e não vou machucar uma outra mulher porque um homem não nos respeita". 

Procurada pela Universa, o site de vendas OLX disse, por comunicado oficial, que lamenta e repudia profundamente o ocorrido. "Infelizmente, ferramentas que são criadas para auxiliar no desenvolvimento social do país se tornam, eventualmente, um local para interações realizadas por terceiros de má índole, como no caso relatado. A atitude destes homens vai contra todos os valores que a OLX acredita e defende, principalmente com relação ao respeito à mulher", declarou a empresa. A plataforma afirmou, ainda, que entrou em contato com Fabricia pelo Twitter e que identificou e bloqueou os usuários que tiveram a conduta consideradapela companhia, inadmissível. A OLX também ressaltou que disponibiliza um botão de denúncia dentro de seu chat para que os usuários acionem a administração em caso de comportamentos desrespeitosos. 

Violência contra a mulher