Topo

Sexo

Orgasmo combinado: dá para ter prazer clitoriano e vaginal ao mesmo tempo?

Getty Imaegs/iStock photo
Imagem: Getty Imaegs/iStock photo

Priscila Rodrigues

Colaboração para Universa

07/02/2019 04h00

O orgasmo feminino tem muitas nuances e não segue regras rígidas. Até mesmo mulheres em relacionamentos monogâmicos e longevos não gozam sempre do mesmo jeito, ainda que sigam um roteiro pré-estabelecido de preliminares frequente.

A maioria das mulheres atinge o clímax com estímulo clitoriano, o que tem levado, erroneamente, muita gente a buscar o chamado "orgasmo combinado" para ampliar o prazer da penetração vaginal. Isso é possível?

Claro que sim! Acontece que, segundo especialistas, todo orgasmo feminino é combinado, o que muda é a maneira de, digamos, tratar o clitóris na hora H.

"Quando as estatísticas pregam que 80% das mulheres têm orgasmo do tipo clitoriano na verdade se referem à excitação direta na cabecinha do clitóris, manual ou oralmente. Porém, durante a penetração, há diversas terminações nervosas femininas em jogo: o ponto G, o clitóris, a inervação da própria vagina... A estimulação de toda essa área também ajuda a gozar. Se formos levar tudo isso em consideração, então, em princípio, todo orgasmo seria misto", informa a psicóloga e sexóloga Tatiana Presser, autora do livro "Vem Transar Comigo" (Ed. Rocco).

Já Carla Cecarello, psicóloga, sexóloga consultora do site C-Date e fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade), lembra que é um erro ainda muito comum achar que o clitóris é só aquele botãozinho sensível visível ao abrirmos os lábios vaginais com os dedos.

"O clitóris conta com uma parte interna significativa que também é estimulada durante a penetração", conta. Existem outras estruturas por trás do único órgão do corpo humano 100% dedicado ao prazer --e é válido saber que elas se estendem entre 8 e 9 centímetros e são ricas em nervos e vasos sanguíneos. Assim, durante a penetração, ainda há estímulo no clitóris, só que ele é reduzido porque entre o corpo do pênis e o corpo do clitóris há mucosa e músculo.

"Quando a mulher diz que teve orgasmo vaginal, provavelmente aconteceu porque, durante o vaivém da penetração, o pênis roçou a cabecinha do clitóris e causou um prazer intenso. O orgasmo vaginal, na verdade, é clitoriano também", conta Carla.

Não é só com através dessas "roçadinhas" acidentais --ou estratégicas-- que é possível desfrutar das duas sensações, a da penetração e a excitação direta no clitóris. Algumas posições sexuais permitem que você ou o par fiquem com as mãos livres para fazer o estímulo enquanto rola a penetração.

"A posição do 'cachorrinho', deitada ou ajoelhada de quatro, é ideal para conseguir a combinação de orgasmo", informa Valéria Walfrido, sexóloga e terapeuta corporal de Recife (PE), que aconselha usar um travesseiro embaixo dos quadris para tornar o encaixe, devido ao ângulo da penetração, mais gostoso. 

Outra sugestão, dessa vez dada por Leila Cristina, terapeuta sexual e autora de "O Grande Livro do Amor e Sexo" (Ed. Literare), é tentar a posição de "cowgirl" (mulher por cima) --de preferência no sofá-- com o parceiro com as costas apoiadas nas almofadas e você sentada no colo dele.

A tática, que serve para estimular o ponto G, fica mais excitante se o homem usar os dedos dessa vez.

"Vibradores ou bullets também são ótimos para excitar o clitóris durante a penetração. E não deixe de escolher um bom lubrificante à base de água, que torna os órgãos genitais mais eroticamente sensíveis e as mulheres mais propensas a terem orgasmos", fala Leila.

Mais Sexo