PUBLICIDADE

Topo

Universa

Primeira vez com alguém do mesmo sexo: mulheres e homens contam experiência

Mulheres e homens compartilham suas histórias com o mesmo sexo - iStock
Mulheres e homens compartilham suas histórias com o mesmo sexo Imagem: iStock

Simone Cunha e Veridiana Mercatelli

Colaboração para Universa

21/11/2018 04h00

Um misto de tesão, curiosidade, medo e até culpa. A seguir, homens e mulheres confessam como se sentiram na primeira transa homossexual.

“Eu morava na Colômbia e uma brasileira, que eu só conhecia pelo Facebook, me mandou mensagem falando que estava fazendo voluntariado por lá e que precisava passar a noite em Bogotá para pegar um ônibus no dia seguinte. Aí ela foi para minha casa, levou cerveja e a gente ficou jogando conversa fora. Na hora de dormir, ela deitou na minha cama e, como estava frio, a gente ficou de conchinha. Uma coisa levou à outra. Meio que aconteceu mesmo, não foi algo combinado. Não era a primeira vez dela com uma mulher, mas era a minha. Só que ela não sabia e, quando eu contei, ela ficou surpresa. Acho que é um bom sinal, né? Devo ter ido bem. Eu fiz o que eu gosto que façam comigo e, aparentemente, deu certo. Gostei tanto, que depois eu até fiz ménage com um cara e uma mina mais duas vezes. Mas só com mulher eu não fiz mais, percebi que não é pra mim. Em sexo com homem, os dois se dão prazer ao mesmo tempo e, com mulher, na maioria do tempo vai alternando. Além disso, eu sinto muito prazer com a penetração.”

Helena Dias*, 24 anos, estudante

Veja também

“Minha primeira vez foi com a irmã de uma amiga minha. Eu costumava frequentar a casa dela e, um dia, estávamos lá conversando quando a minha amiga e uma outra garota começaram a se pegar na sala. Eu não queria interromper, então falei que ia para o quarto, mas sem intenção nenhuma. Só que a irmã dela foi atrás de mim e, quando vi, já estávamos nos beijando. Ela foi tirando a minha roupa e aconteceu. Durante a transa, eu fiquei só passiva. Como eu nunca tinha transado com mulher, fiquei meio perdida, com medo de fazer algo errado, porque ela já ficava com outras meninas há anos. Então, eu a deixei livre e era isso que ela queria mesmo. Eu falei para ela que nunca tinha transado com mulheres e ela contornou bem a situação, pra me deixar com vontade e relaxada; então, foi bem legal.

O momento foi super gostoso, é uma das melhores lembranças que eu tenho. Até hoje transo com mulheres.”

Pâmela Cortês*, 25 anos, auxiliar de escritório

“Eu tinha 16 anos e sempre tive vontade e curiosidade de transar com meninos, mas tinha medo de não me sentir bem durante, de doer e tal. Um dia, logo após sair da escola, eu e uns amigos fomos nadar e tinha aquelas brincadeiras na piscina, de um passar a mão no outro. Depois de um tempo, todos fomos embora e um dos meus amigos me chamou pra ir na piscina de novo, só nós dois .Brincamos, nadamos e depois a gente conversou sobre ficar com meninas e meninos. Aí ele perguntou se eu ficaria com ele e eu disse que sim. Então, a gente se beijou e começou a rolar. Eu sabia o que fazer, mas não sabia se conseguiria fazer tudo, foi a minha primeira vez, mas acho que não foi a dele. Ele me ajudava quando eu ficava meio perdido e, depois de um tempo, já estava amando aquilo tudo. Eu sempre quis ser o passivo, mais por curiosidade, sabe? Mas quando fiz nessa primeira vez com ele, acabei gostando mesmo e não vi problema nenhum nisso. Hoje em dia, continuo transando com homens e, na maioria das vezes, ainda sou passivo."

André Sanchez*, 19 anos, coordenador de turismo

“Só estive uma única vez com outra mulher na cama. Participei de um ménage, pois tinha muita curiosidade pra saber como era, mas acho que não queria que fosse só com uma mulher. Ou não tive chance, sei lá. O fato é que, no final das contas, o cara que estava junto ficou só olhando e resolveu a excitação dele sozinho. Foi bem estranho, não vou negar. Não sabia muito o que fazer, tive que beber umas taças de vinho pra me soltar. Acho que se estivesse sóbria, teria sido um desastre, porque, por mais curiosa que eu fosse, só de pensar eu ficava meio nervosa. O que eu achei bem excitante e diferente foi ter uma mão fina encostando em mim, já que estava acostumada com mãos e corpos masculinos. Quando a transa acabou, dormimos juntas, estávamos na casa da garota. Acordar ali também foi estranho, mas engraçado. Tenho boas lembranças, mas nunca mais repeti a dose. Desde então, só transei com homens. Mas ainda quero fazer sexo com uma mulher de novo. Só que dessa vez sem nenhum cara por perto.”

Alice Breda*, 26 anos, vendedora

“Eu me descobri tardiamente, com 25 anos. Antes, só havia namorado homens. Então, foi confuso. A primeira vez eu senti aquela sensação de nervosismo forte e também de estar fazendo algo errado. Mas depois que eu fiquei com essa primeira garota, tive certeza de que só queria ficar com meninas. Foi delicioso!”

Adriana Nóbrega*, 38 anos, fotógrafa

“Sempre tive curiosidade de ficar com outros rapazes, mas não tinha muita coragem. Meus dois irmãos são meio machistas e minha mãe é muito conservadora. Um dia, conheci um cara no meu trabalho, na época eu tinha 21 anos. Éramos colegas, sempre almoçávamos juntos, conversávamos. Até que uma vez fomos a uma festa e ficamos juntos. Rolou tudo naquela noite, mas eu estava bem inseguro no começo. Ele me deixou à vontade, porque não era a primeira vez dele com um homem. Depois daquela noite, passei um período me sentindo um pouco errado, mas decidi me assumir.”

Bruno Poletti*, 28 anos, publicitário

*Nomes trocados a pedidos dos entrevistados

Universa