PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

No Facebook, família leiloa "noiva virgem" em troca de 500 vacas e 3 carros

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Da Universa

13/11/2018 19h35

No Facebook, uma jovem, de 17 anos, do Sudão do Sul teve seu corpo leiloado pela sua família e comprado por um empresário da região.

De acordo com o "Daily Mail", o indivíduo a "comprou" em troca de 500 vacas, três carros de luxo e US$ 10 mil, aproximadamente R$ 38 mil.

Veja também:

A postagem foi feita no último dia 25 de outubro e teve cinco "compradores" participando da negociação. Já o casamento, consolidado após o pagamento do "dote", aconteceu no dia 3 de novembro.

Foram compartilhadas ainda fotos da jovem com vestido de noiva na rede social, em que a chamavam de "mulher mais cara do Sudão do Sul".

A preocupação de líderes de ONGs, como a Plan International, que tem como compromisso garantir que crianças tenham acesso aos seus direitos, é de que outras famílias se sintam incentivadas e passem a tornar essa prática comum nas redes sociais.

"O fato de que uma garota possa ser vendida para um casamento na maior rede social do mundo é inacreditável", diz George Otim, diretor da Plan International local.

Após a intervenção de George e outros diretores, que entraram com um recurso para que o Facebook retirasse a postagem do ar, a plataforma a excluiu e denunciou o usuário responsável pela sua publicação, com base no argumento de que houve violação dos padrões e normas da rede social.

"Qualquer forma de tráfico humano, seja por meio de publicações, páginas, anúncios ou grupos que coordenam essa atividade não é permitida no Facebook", comunicou um porta-voz.

Além dessas medidas, militantes de grupos de defesa dos direitos das crianças pedem que sejam tomadas as devidas providencias para punir os envolvidos no leilão; alguns deles ocupam cargos políticos no Sudão.

De acordo com a UNICEF, agência da ONU, mais de 50% das meninas do Sudão do Sul se casam antes dos 18 anos, idade considerada legal para o matrimonio no país.

Violência contra a mulher