PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Pressa, unha comprida e mais 14 erros que mulheres cometem na masturbação

Você tem tudo para acertar a mão e ter muito prazer - Getty Images/iStockphoto
Você tem tudo para acertar a mão e ter muito prazer Imagem: Getty Images/iStockphoto

Claudia Dias

Colaboração para Universa

03/11/2018 04h00

Parece um caminho certeiro, mas tem muita mulher cometendo deslizes ao se masturba. Com isso, o momento íntimo que poderia provocar altos orgasmos acaba entregando menos prazer do que se espera - ou é possível.

Conversamos com os especialistas Carla Cecarello, sexóloga e consultora do C-date; Carla Geane, sex coach e palestrante da INTT Cosméticos; Claudia Renzi, psicóloga, sexóloga e terapeuta bioenergética; João Luiz Vieira, jornalista e sexólogo; Paula De Freitas, coach de relacionamentos do Polifraseando.com; e Virginia Gaia, sexóloga, que listam os maiores erros cometidos pelas mulheres, baseados em relatos de clientes.

Veja também

Ignorar o espelhinho

Nas primeiras vezes, a mulher precisa se olhar antes e durante a masturbação. Isso porque é importante o cérebro registrar a imagem da entrada da vagina, da vulva como um todo, dos lábios, do clitóris. Um espelho é providencial nessas horas, para a dona veja como seu corpo se comporta. Tudo isso vai ficar registrado na memória e ajudar nas próximas sessões solo.

Recorrer, de cara, ao vibrador

Ter companhia de um vibrador é tudo de bom, mas melhor evitá-lo nas experiências iniciais. Tudo para a mulher não se acostumar e ficar acostumada ao "ritmo" que só ele costuma manter - já que a mão (ou a língua, numa sessão a dois) acaba cansando.

Não mudar de posição

Masturbar-se sempre do mesmo jeito também cria certa dependência e pode condicionar o orgasmo apenas quando há estimulação de determinada maneira. Por essa razão, é importante variar tanto a posição como os "acessórios" - almofada, jato do chuveirinho, dedo, vibrador etc. Sem contar que fazer sempre do mesmo jeito pode prejudicar a musculatura do braço.

Repetir imagens

Caso a masturbação dependa de estimulação visual, melhor alterar a imagem tanto quanto possível, já que isso também pode viciar - e atrelar o orgasmo apenas a tal prática. Prefira mudar constantemente, podendo revezar em imagens fixas ou em movimento (vídeos).

Exagerar na comida

O bom senso já diz que se masturbar depois de comer uma feijoada não vai render um bom resultado. É óbvio que o organismo estará ocupado com a digestão da comida e duas demandas exigentes ao mesmo tempo farão qualquer pessoa demorar (bastante) para gozar.

Fazer tudo com pressa

Não adianta correr para aproveitar os poucos minutinhos disponíveis, seja por causa dos filhos, da ida ao banheiro ou uma folguinha inesperada. Para a mulher conseguir irrigar totalmente a região pélvica, precisa de tempo - o processo demora pouco mais de dez minutos. Só depois desse período é que estará pronta para atingir o clímax.

Deixar o cérebro de lado

Sabe qual o maior órgão sexual do corpo humano? O cérebro. Ele é o responsável por seu prazer e, por conta disso, deve ser explorado ao máximo, com muita imaginação. Idealizar fantasias é sempre uma boa pedida na hora de dar prazer a si mesma.

Apelar pouco para fantasias

Aliás, não raro a imaginação feminina ser tolhida pela educação rígida, dentro de uma sociedade patriarcal e ser bem limitada na construção das fantasias sexuais. Poucas são as mulheres que dizem abertamente (e sem culpa) quais os desejos mais picantes, como um ménage com dois homens, ou algum papel que queiram viver - ser uma dominatrix ou uma submissa, por exemplo, de acordo com suas vontades. Lembre-se: a imaginação é sua e você é dona do seu corpo.

Sentir-se culpada

Nesse mesmo contexto, há mulheres que manifestam culpa quando as fantasias envolvem homens que não são seus parceiros, achando que estão sendo infiéis. Ou que estão sendo ousadas demais quando imaginam situações muito fora do dia a dia delas. Dica: imagine seu par na fantasia,. Isso pode te deixar mais relaxada e espantar o remorso.

Esquecer dos seios

Tem gente que foca a masturbação apenas nas partes baixas e se esquece que o corpo todo pode ser puro deleite. Os seios, por exemplo, são extremamente prazerosos e provocam muitas sensações gostosas quando explorados e estimulados.

Ter unhas muito compridas

Sim, senhora. As mãos poderosas podem se revelar inimigas na hora de se masturbar, atrapalhando o movimento ou mesmo machucando. Ou seja, unhas curtas são mais práticas e eficientes. Mas se não conseguir mudar o visual, opte por acessórios, desde um vibrador até luvas de látex.

Não correr riscos

A brincadeira não precisa acontecer só deitada, na cama ou no sofá, ou sob o chuveiro, já que a repetição de cenários podem levar à mesmice. Vale, inclusive, explorar outras áreas da casa e sentir o friozinho na barriga com a possibilidade de ser flagrada se masturbando em algum lugar inesperado. Lembre-se: sua masturbação, suas regras. 

Não usar lubrificante

Mesmo que a masturbação seja feita recorrendo-se apenas às mãos, tudo fica mais confortável com uma boa lubrificação. Quem não recorre aos produtinhos perde aí a chance de encontrar mais prazer. E vale experimentar opções diferentes de lubrificantes, testando os que esquentam e os que esfriam, para começar.

Improvisar demais

Diante de todas as possibilidades na hora da masturbação, vale um recado (e um alerta): não vale arriscar a saúde e a segurança adotando objetos que não sejam próprios para o uso sexual. A recomendação é: opte por  brinquedos e produtos eróticos específicos para essa finalidade para não ter dor de cabeça em vez de prazer.

Desprezar a brincadeira a dois

Esquecer-se da possibilidade de masturbação com um par é erro grande. Além de ser ótima sozinha, a brincadeira com outra pessoa pode ser excelente pedida - com altíssimas chances para evoluir a uma transa bem quente.

Praticar menos que deveria

A masturbação é algo natural e faz parte do desenvolvimento e autoconhecimento feminino. Muitas (muitas mesmo!) mulheres sentem-se bem à vontade com a prática, mas outras não chegam a tanto. Isso porque se masturbam menos que poderiam ou deveriam. A prática constante faz qualquer uma se conhecer mais e descobrir como ter mais prazer.

Sexo