PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Pais e mães narram as trapalhadas que viveram com o primeiro filho

Carolina Prado e Gabriela Guimarães

Colaboração para o UOL

28/08/2017 04h00

O filho nasce e o coração não aguenta de tanta emoção. Mas, na vida prática, entre um suspiro e outro pelo bebê, os novos pais precisam lidar com fraldas, banho, roupinhas, cocô, xixi, nariz sujo, tudo pela primeira vez! A performance nem sempre é das melhores, mas as histórias que ficam… são incríveis!

Maria Cristina Bernardo e família - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Maria Cristina Bernardo e família
Imagem: Arquivo pessoal

Salvos pelo tutorial

“Aprendemos tudo sozinhos. No primeiro banho do nosso filho, recorremos ao YouTube. Pesquisamos vídeos e ligamos o computador do lado da banheira. Íamos repetindo tudo o que a mulher fazia. Conseguimos, mas foi muito enrolado. Ficávamos tentando segurar e dar o banho ao mesmo tempo. Era complicado! Até que a gente foi pegando o jeito. É nas coisas simples que as pessoas se enrolam, porque ninguém para muito para te explicar. Também já levamos algumas vezes cocô e xixi no rosto. Com meninos, a troca tem que ser rápida porque eles apontam a mira e sujam tudo! Fomos trocá-lo em uma festa e o pai teve de sair sem camisa.”

Maria Cristina Bernardo, 36, casada com Paulo César Souto, 35. São pais de Guilherme, 9, João, 5, e Júlia 6 meses

Vanessa Zanirato dos Santos com o marido, Duílio, e o filho Guilherme - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Vanessa Zanirato dos Santos com o marido, Duílio, e o filho Guilherme
Imagem: Arquivo pessoal

PS no primeiro dia

“Quando o Guilherme nasceu, fui liberada da internação do hospital em um sábado, às 14h. Coloquei a saída da maternidade nele, o enrolei na mantinha e fui para o carro com meu ‘pacotinho novo’ no bebê conforto. Mas estava muito calor! Com o trânsito, demoramos quase uma hora para chegar em casa. Quando fui tirar o pequeno do carro, percebi a besteira que fiz: ele estava fervendo e ensopado de suor! Subi e dei banho nele. Para completar este primeiro dia em casa, às 2h da manhã o levamos ao pronto-socorro, porque o nariz dele estava fazendo um barulhinho. Eu deduzi que ele estava com falta de ar. Levei uma bronca tão grande do médico: não se leva uma criança ao hospital por qualquer coisinha, ainda mais porque ele havia acabado de sair da maternidade e não tinha tomado nenhuma vacina. Mas eu não fazia nem ideia. Achei mesmo que meu filho ia morrer, cheguei a chorar! E era só um narizinho entupido.”

Vanessa Zanirato dos Santos, 32, casada com Duílio Batista dos Santos, 35. São pais do Guilherme, 4

Karen dos Santos Aguiar e família - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Karen dos Santos Aguiar e família
Imagem: Arquivo pessoal

Banho inesquecível

“Uma vez, eu estava dando banho no meu filho, recém-nascido, e ele escorregou da minha mão e bateu um pouco de água na carinha dele. Como reação, ficou quietinho. Deduzi que ele tinha se afogado e estava morrendo! Bateu aquele desespero! Saí com ele no meio da rua, pelado, desesperada. Dizia: ‘Socorro, meu filho se afogou, meu filho se afogou!’. Nisso, aparece minha vizinha: ‘Calma, ele está bem, não aconteceu nada’. O menino, na verdade, estava morrendo de frio!”

Karen dos Santos Aguiar, 27, casada com Daniel Tadeu da Silva, 30. São pais do Nicollas, 7, Isadora, 2 e Davi, 5
 

Cintia Aparecida Martins Queiroz Lazaro com o marido, André, e o filho Arthur - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cintia Aparecida Martins Queiroz Lazaro com o marido, André, e o filho Arthur
Imagem: Arquivo pessoal

Caos no restaurante

“O Arthur tinha quase 3 anos e o André, meu marido, foi levá-lo ao banheiro no restaurante onde estávamos. Percebi que eles estavam demorando, até que o André voltou muito p da vida. Ele colocou o Arthur para fazer cocô e, um tempinho depois, o menino disse que tinha acabado. Aí, ele deixou o Arthur em pé e imediatamente virou para lavar a mão ou pegar alguma coisa. Nisso, o Arthur falou: ‘Tem mais!’. Neste momento, ele já tinha feito mais cocô em pé mesmo. Meu filho se sujou todo (meia, tênis, tudo!) e também sujou o chão. Pra piorar, o papel acabou e meu marido teve que limpar todo o chão com lenço umedecido. Ele saiu de lá e fomos embora, porque não havia condições de continuar no restaurante depois daquilo.”

Cintia Aparecida Martins Queiroz Lazaro, 39, casada com André Ferreira Lazaro, 38. São pais de Arthur, 4

Mães e filhos