PUBLICIDADE

Topo

Universa

Casa segura é qualidade de vida para o idoso; veja sugestões de adequação

Visão interna de uma das casas do Vila Dignidade em Avaré, interior de São Paulo - Secretaria da Habitação/ CDHU/ Divulgação
Visão interna de uma das casas do Vila Dignidade em Avaré, interior de São Paulo Imagem: Secretaria da Habitação/ CDHU/ Divulgação

DAIANA DALFITO

Colaboração para o UOL

31/03/2010 07h00

Idosos independentes, saudáveis e felizes são cada vez mais numerosos e a busca por essa realidade requer alguns cuidados também na forma de morar. O diretor do Centro de Estudo do Envelhecimento da Unifesp, Dr. Luiz Roberto Ramos, esclarece que os parâmetros para uma casa segura são determinados pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e que a prevenção de acidentes e possíveis traumas é uma questão de saúde pública, já que deles resultam não só danos físicos, mas também psicológicos, como a depressão.

“Com o passar dos anos, os acidentes são cada vez mais prováveis ao se executar ações corriqueiras da vida cotidiana. 90% dos casos acontecem dentro de casa, pelo aumento do tempo de permanência e distração”, explica Ramos.

A arquiteta Grazzieli Gomes do escritório Aflalo e Gasperini dá algumas dicas para a adequação das casas para a moradia de idosos e salienta: “Áreas de circulação e passagem, como portas, precisam ser mais largas em qualquer dos cômodos da casa para que seja possível, por exemplo, uma manobra com a cadeira de rodas. As portas, devem ter vão de, no mínimo 90 cm”.

Também é recomendável desobstruir as áreas de circulação, evitando que móveis e tapetes sejam armadilhas para o idoso. Já no caso das reformas para a adequação de espaços é imprescindível conhecer a estrutura do imóvel. Se a construção for padrão, vigas e pilares devem ser respeitados; se de alvenaria estrutural, as alterações não são possíveis.

Adequações simples podem evitar acidentes:

•Os degraus devem ser evitados;
•O carpete deve ser retirado para evitar o acúmulo de pó;
•Tapetes podem causar acidentes: Elimine-os ou afaste-os das áreas de circulação;
•No banheiro, um piso antiderrapante ajuda a evitar escorregões e quedas;
•Barras de apoio próximas ao vaso sanitário, chuveiro e pia dão maior segurança;
•Boa iluminação ajuda a evitar quedas e tropeções; mantenha uma luz baixa e difusa também durante a noite;
•Caixilhos de janelas devem ter alturas que permitam a visualização externa, mas que ofereçam segurança;
•Maçanetas, fechaduras e interruptores devem ter altura adequada ao acesso de cadeirantes;
•Camas e sofás bem estruturados e não muito baixos ajudam na hora de sentar, deitar e levantar;
•Móveis com cantos arredondados auxiliam na prevenção de acidentes;
•No caso de cadeirantes, o espelho do banheiro com uma ligeira inclinação descendente, pode ajudar o idoso a se ver por inteiro;
•Contrastes de cor entre o piso e a parede, em áreas úmidas, aumenta o grau de reconhecimento do ambientes.
 

Universa