PUBLICIDADE

Topo

Universa

Estudo revela que 80% das italianas se sentem doentes por causa da moda

28/01/2007 16h36

Um relatório que será publicado na segunda-feira na revista "Salute Naturale" revela que 80% das mulheres italianas sofrem dores ou se sentem doentes por causa da moda, que as estimula a usar saltos altíssimos saltos, roupa justa e vestidos leves no inverno.

O relatório analisa a relação entre o mal-estar ou dor que algumas mulheres sentem e o tipo de roupa que vestem, segundo uma enquete realizada com 986 mulheres italianas entre 20 e 55 anos.

Das mulheres entrevistadas, 82% sofreram algum problema físico que os analistas atribuem à roupa ou acessórios que usam e os principais são os relacionados com a circulação (62%), sudoração excessiva (59%), dermatite (43%), calos e escoriações nos pés (39%).

Também segundo o estudo, as mulheres sofrem reações alérgicas (31%), devido sobretudo ao contato do ferro de fivelas ou botões com a pele, inchaço nos pés (21%) e dor de costas (18%).

As principais causas destes problemas são, segundo a revista, os vestidos muito curtos ou justos (28%), os sapatos altos ou incômodos (26%), os tecidos sintéticos ou que dificultam a transpiração (15%), roupa íntima incômoda (12%) e bolsas muito pesadas (8%).

O relatório também enumera a lista dos acessórios "mais perigosos" para a mulher, como o sutiã com aro (72%), os sapatos de salto alto (65%), as calças jeans muito justas (61%), as camisas ou camisetas que deixam o umbigo de fora também no inverno (52%), os brincos de bijuteria (32%) e as meias (28%).

Os especialistas da "Salute Naturale" indicam que os sapatos de salto alto produzem, além de calos, ferimentos, problemas de circulação e joanetes, que "atingem uma em cada três mulheres".

A mulher elege o "sofrimento" da moda quando tem uma reunião de gala (31%) e, surpreendentemente, quando pratica esportes (25%), assim como nas entrevistas de emprego (19%).

Universa