Topo

Universa


Universa

Kenzo e LVHM colocam fim a litígio judicial após acordo

01/06/2005 14h00

Paris - O estilista japonês Kenzo Takada e o grupo
francês de artigos de consumo de luxo LVHM chegaram a um acordo para
pôr fim a um litígio judicial, mas os termos não foram revelados,
disseram nesta quarta-feira fontes judiciais.

O Tribunal de Grande Instância de Paris deve arquivar o caso nos
próximos dias, disseram as fontes.

O criador acusava o LVHM, que possui a sociedade Kenzo S.A., de
haver utilizado em vários produtos a marca "Kenzo Takada" escrita em
caracteres chineses, da qual ele era proprietário.

O japonês vendeu a Kenzo S.A. o LVMH em 1993 por 29 milhões de
euros e em abril de 1997 o grupo devolveu as marcas de "Kenzo
Takada" ao estilista por uma quantia simbólica.

Segundo seus advogados, os acordos alcançados entre ambas as
partes previam que o nome e sobrenome do estilista eram de sua
propriedade, e o LVHM só conservava o direito de explorar o nome
"Kenzo".

Após deixar o grupo LVHM em outubro de 1999, Takada quis retomar
sua atividade no mundo da moda e ao tentar registrar seu nome e
sobrenome em caráteres chineses no fim de 2000 se surpreendeu ao
saber que a sociedade francesa já os explorava.

Durante a audiência do julgamento, em fevereiro passado, a defesa
de Kenzo solicitou que se designasse um especialista judicial para
avaliar o prejuízo de seu cliente pelos direitos autorais não
recebidos entre 1997 e 2005.

Enquanto isso, o estilista exigia 6,4 milhões de euros em
conceito de danos e interesses.

A defesa do LVHM argumentou que Kenzo S.A. era o proprietário da
marca Kenzo Takada em caracteres chineses e que só devia devolvê-la
em caracteres latinos.

Mais Universa