PUBLICIDADE

Topo

Universa

Idosas decidem enfrentar o isolamento com 'vinho e gargalhadas'

O único item que as amigas estocaram para seu autoisolamento são garrafas de vinho - Reprodução/BBC
O único item que as amigas estocaram para seu autoisolamento são garrafas de vinho Imagem: Reprodução/BBC

19/03/2020 10h05

Doreen, Dotty e Carol, amigas de uma vida toda, resolveram unir o útil ao agradável e se juntar por uma semana em 'autoisolamento' asssitindo séries de TV em meio à pandemia do coronavírus

Uma boa ideia em tempos de coronavírus: mudar-se para a casa de uma amiga, beber vinho e assistir a séries de TV juntas. Três senhoras do norte da Inglaterra decidiram olhar para o lado bom dessa situação e estão ansiosas para se divertir juntas durante o autoisolamento por causa do coronavírus.

Amigas de uma vida inteira, Doreen, Dotty e Carol, todas aposentadas, disseram à BBC que pretendem se autoisolar durante sete dias e, ao final disso, se todas estiverem bem, passar a morar juntas na casa de uma delas.

"Todas nós temos a mesma quantidade de quartos na nossa casa", diz Doreen, por Skype. As três falaram com a BBC da casa de Carol. "Dotty tem um jardim amplo, que será ótimo para se exercitar. Eu não tenho jardim, mas tenho um quarto da frente, caso a gente se canse uma da outra", brinca.

As três amigas devem se juntar na casa de uma delas para assistir a séries e se divertir juntas - Reprodução/BBC
As três amigas devem se juntar na casa de uma delas para assistir a séries e se divertir juntas
Imagem: Reprodução/BBC

"Temos Netflix, então podemos assistir a The Crown", diz. A que outra responde, rindo: "E cair no sono de novo!". The Crown é uma série sobre a família real britânica. Único estoque na casa desse trio? Vinho. As três mostram suas taças e brindam com a entrevistadora.

O governo britânico deve aconselhar pessoas com mais de 70 anos, um grupo de risco para o novo coronavírus, a se autoisolar por até três meses para se proteger da pandemia global.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que não descarta anunciar nos próximos dias mais restrições em Londres, a capital britânica, onde há mais casos de coronavírus.

Universa