PUBLICIDADE

Topo

Universa

Museu britânico exibe laranja de 116 anos

Caroços ainda podem ser ouvidos quando a laranja é balançada - BBC
Caroços ainda podem ser ouvidos quando a laranja é balançada
Imagem: BBC

30/10/2007 19h43

Uma laranja seca de 116 anos, encontrada na marmita de um homem que trabalhava em uma mina de carvão, foi colocada em exibição em um museu de Staffordshire, na Grã-Bretanha.

A fruta pertencia a Joseph Roberts, que foi ferido em uma explosão na mina de carvão de Stoke-on-Trent, em 1891.

A família de Roberts manteve a fruta em casa todos estes anos e, agora, fez a doação para o Museu de Cerâmicas.

Deb Klemperer, porta-voz do museu, disse que a laranja pode ser apenas uma fruta seca, mas a história ligada a ela é impressionante.

Explosão

Segundo Klemperer, Roberts, que tinha 37 anos na época, havia levado a fruta para o trabalho, na mina de Racecourse, para o almoço, no dia 19 de fevereiro.

Roberts ficou gravemente ferido quando uma explosão subterrânea na mina de carvão não saiu como previsto.

Ele morreu em um hospital e deixou uma viúva e seis filhos. A marmita foi um de seus objetos pessoais entregues à família. Pam Bettaney, descendente de Joseph Roberts, doou a marmita ao museu.

A laranja está completamente escurecida e seca. É possível inclusive ouvir o barulho dos caroços quando a laranja é chacoalhada.

"A morte dele (Roberts) foi uma das muitas tragédias da época", disse Deb Klemperer. "Ele foi apenas um dos muitos que morreram enquanto trabalhavam nas minas de carvão."

Universa