Topo

Manifestantes protestam contra projeto de lei sobre violência doméstica na Rússia

Protesto reúne homens contrários à aprovaçaõ de uma lei para combater ao feminicídio - Alexander Nemenov/AFP
Protesto reúne homens contrários à aprovaçaõ de uma lei para combater ao feminicídio Imagem: Alexander Nemenov/AFP

23/11/2019 13h54

Moscou, 23 Nov 2019 (AFP) - Cerca 200 pessoas se reuniram neste sábado em um parque de Moscou, convocado por uma organização religiosa, para protestar contra um projeto de lei contra a violência doméstica.

Cerca 200 pessoas se reuniram neste sábado em um parque de Moscou, convocado por uma organização religiosa, para protestar contra um projeto de lei contra a violência doméstica.

Este texto está atualmente em preparação por um deputado do partido no poder.

Nos últimos meses, esse problema voltou aos holofotes, após uma série de casos expostos na mídia, que multiplicaram os pedidos para reforçar a legislação russa nesse sentido.

Militantes ortodoxos, no entanto, se pronunciaram contra esse projeto. Eles alegam ser contra a violência, mas acreditam que a legislação existente já protege suficientemente as vítimas e que o novo texto vai contra os "valores familiares tradicionais" na Rússia.

"Esta lei faz da família um objeto. As ONGs poderão interferir nas famílias e dividi-las. É o começo da destruição da família", disse à AFP Andrei Kormukhin, organizador da manifestação.

Segundo ele, este texto não reduzirá a violência. "Para que não haja violência, era preciso cuidar da violência que aparece nas telas da televisão e da internet, que educa uma geração disposta a fazer o mal", disse Maxime Riumantsev, manifestante e pai de vários filhos.

O flagelo da violência doméstica foi minimizado por um longo tempo pelas autoridades da Rússia, que até a descriminalizaram amplamente em 2017.

Algumas autoridades acabaram admitido que foi um erro.

Violência contra a mulher