Topo

Universa

Alison Rose será a primeira mulher a comandar um grande banco britânico

Alison Rose, nova CEO do Royal Bank of Scotland (RBS) - AFP
Alison Rose, nova CEO do Royal Bank of Scotland (RBS) Imagem: AFP

20/09/2019 10h04

Londres, 20 Set 2019 (AFP) - Alison Rose será a nova diretora executiva do Royal Bank of Scotland (RBS) e a primeira mulher a comandar um dos principais bancos britânicos, anunciaram fontes do RBS.

Rose, que dirige a filial NatWest do RBS e que trabalha há 27 anos no grupo, era a favorita para suceder Ross McEwan e assumirá o posto de CEO no dia 1º de novembro.

McEwan, que reestruturou o banco, atualmente controlado pelo Estado, assumirá o comando do National Australia Bank (NAB) em meados de 2020.

"Estou muito satisfeito por termos nomeado Alison como nossa nova CEO. Ela traz uma vasta experiência e um histórico de sucesso de seus cargos anteriores no banco", afirmou o presidente do conselho de administração do RBS, Howard Davies, citado em um comunicado.

Ross McEwan deixa "um banco que voltou a se concentrar em seus mercados essenciais do Reino Unido e Irlanda, resolveu a maioria de seus principais problemas jurídicos e voltou a ter rentabilidade", completou.

Rose afirmou que a nomeação é uma "imensa honra" e disse que começa "um novo capítulo para este banco".

Ela advertiu que o setor bancário "enfrenta uma série de desafios, da incerteza econômica e política em curso às mudanças de comportamento e expectativas de nossos clientes, impulsionadas por rápidos avanços na tecnologia".

"Será minha prioridade garantir que estamos prontos para enfrentar esses desafios".

Os bancos tradicionais como o RBS, um dos mais antigos do Reino Unido, enfrentam problemas como as pequenas taxas de juros ou a concorrência dos bancos virtuais.

Durante a reestruturação após a crise financeira, o RBS vendeu suas atividades de banco de investimento, que agora representam menos de 10% do seu faturamento.

Ao lado do Lloyd's, o RBS é uma das instituições financeiras britânicas mais vulneráveis ao Brexit, porque depende em grande parte da economia da Grã-Bretanha.

No segundo trimestre do ano, no entanto, o RBS conseguiu elevar seus lucros e aumentar o dividendo para seus acionistas.

Mais Universa