PUBLICIDADE

Topo

Sexo

10 coisas que todo mundo deveria saber sobre esperma

Getty Images
Imagem: Getty Images

Heloisa Noronha

Colaboração para Universa

10/06/2020 04h00

O cheiro e o sabor podem ser alterados? Um homem pode ser pai mesmo na terceira idade? A masturbação excessiva costuma afetar o volume? E engolir, faz mal à saúde? Universa consultou um time de especialistas para desvendar essas e mais dúvidas.

Fontes consultadas: Alex Meller, urologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo); Flávo Iizuka, urologista e diretor clínico da Climedin, em São Paulo (SP), e Guilherme Wood, médico urologista e especialista em reprodução humana da Huntington Medicina Reprodutiva, em São Paulo (SP).

  • Com a idade, o volume diminui

    Cerca de 90% do líquido seminal é produzido pela próstata e pelas vesículas seminais. O restante é proveniente dos testículos. A produção é constante ao longo da vida, mas o crescimento natural da próstata conforme os anos pode gerar uma doença chamada de hiperplasia benigna, que costuma dificultar o fluxo urinário e a saída do líquido seminal após a ejaculação. Por isso, é muito comum que os homens observem que o sêmen vai diminuindo. Os homens produzem espermatozoides todos os dias e a quantidade pode variar de 2 ml a 5 ml de sêmen por ejaculação. Fatores como medicamentos, cirurgias na coluna, doenças neurológicas, IST's (infecções sexualmente transmissíveis), causas genéticas, diabetes e o consumo de alimentos gordurosos, bebidas alcoólicas, tabaco e anabolizantes também podem levar à diminuição da ejaculação e da produção de espermatozoides.

  • ...E a qualidade do sêmem também piora...

    Não existe idade limite para o homem engravidar uma mulher. A questão é que com o avanço dos anos, a próstata aumenta e, consequentemente, o volume de sêmen diminui. Por outro lado, diferente da mulher, que quando está na menopausa não consegue mais ter filhos, o homem produz sêmen fértil até o último dia de vida dele, apesar de ter uma qualidade pior por conta de uma fragmentação no DNA dos espermatozoides. A partir dos 50 anos, essa redução na qualidade pode levar a um risco maior de doenças neurológicas ou anomalias genéticas na criança.

  • A masturbação excessiva não altera o esperma

    O que acontece é que o homem que exagera na masturbação sempre tem uma baixa contagem de espermatozoides, porque existe a necessidade de aguardar mais ou menos 3 dias para que o estoque se refaça pela produção natural. Se ele se masturba diariamente, sempre haverá uma contagem de espermatozoides abaixo do normal, porque não há tempo de repor. Porém, há outros riscos em jogo, como a diminuição da sensação de prazer, já que no sexo solitário não há produção adequada de alguns hormônios relacionados ao bem-estar. Outro perigo é o da chamada Death Grip Syndrome, que consiste na perda da sensibilidade dos nervos do pênis por causa da força excessiva sobre o membro. Importante: conforme o excesso da atividade, a masturbação pode ser considerada uma compulsão sexual e exige tratamento com psicólogo.

  • Ele pode conter diversas doenças.

    HPV, herpes genital, clamídia, gonorreia, HIV, hepatites B e C e sífilis são algumas das enfermidades que podem ser transmitidas pelo sêmen através do sexo sem proteção. Por isso, use camisinha!

  • Engolir pode fazer mal à saúde.

    O esperma por si só não oferece risco, mas também não existe comprovação científica de que traga algum benefício. O problema acontece quando o homem está infectado com alguma IST e, ao engolir, a(o) parceira(o) pode sofrer uma contaminação. Saudável, o esperma não provoca nenhum tipo de problema, como doenças do trato gastrointestinal - isso não passa de mito.

  • Mudanças na cor exigem atenção.

    Sangue no sêmen, hemospermia (tingimento pela cor marrom ou vermelha) ou cor amarelada forte podem indicar doença inflamatória, infecciosa ou até mesmo neoplásica. A falta de hidratação adequada também costuma causar uma variação no tom do esperma. E mais: modificações no volume e no odor sugerem alguma anormalidade.

  • O gosto tem a ver com a alimentação do homem

    O sabor do sêmen é levemente salgado, mas pode se alterar conforme os hábitos alimentares. do homem. Se ele evitar o consumo exagerado e recorrente de alho, corantes, frituras, álcool, cafeína e produtos picantes, condimentados e amargos e acrescentar na dieta alimentos como canela, gengibre e frutas, sobretudo abacaxi, tanto o sabor quanto o odor do líquido ficam mais leves e até mesmo adocicados.

  • Ele tem efeito de "cola".

    Logo depois da ejaculação, o esperma que sai na forma líquida tende a formar um gel, processo chamado de coagulação. Isso tem a função de proteger os espermatozoides do pH da vagina, que é ácido e pode destruí-los. Trata-se de um fenômeno normal que às vezes leva ao surgimento de pequenos coágulos, semelhantes às bolinhas de sagu, no meio do esperma. É algo normal e que não tem nenhuma característica de que a pessoa esteja doente ou com algum problema de saúde.

  • A frequência sexual interfere no volume.

    Se um homem ejacula várias vezes em uma relação sexual ou no mesmo dia, a quantidade de líquido vai ser menor. E, ao contrário, se estiver há muito tempo sem transar, o esperma estará mais concentrado.

  • Você pode ter alergia ao sêmen

    O sêmen é altamente proteico e conta com muitas substâncias que podem gerar um processo alérgico em pessoas mais sensíveis, sendo mais comum no sexo anal ou vaginal, mas também pode acontecer no oral. Os principais sintomas são vermelhidão, coceira, queimação e/ou inchaço nos locais que tiveram contato com o fluido. Em casos mais graves, provoca diarreia e dificuldade para respirar. O quadro, no entanto, é raro e pode ser tratado com anti-histamínicos.

Sexo