PUBLICIDADE

Topo

Dezembro de 2021: transformações e crises na área financeira são esperadas

Dezembro de 2021: transformações e crises na área financeira são esperadas - Getty Images
Dezembro de 2021: transformações e crises na área financeira são esperadas Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes

Barbara Abramo

De Universa

01/12/2021 00h00

O último mês deste instável e problemático 2021 começa com um eclipse solar total em Sagitário, no dia 04. O evento astral mais importante de dezembro aponta oscilações, crises e reviravoltas ligadas à comunicação de longa distância, relações internacionais e internet. Por ocorrer em um signo de elemento fogo, o fenômeno aponta incêndios e explosões. Os assim chamados "efeitos" ou "ecos" de um eclipse podem se estender por até seis meses depois de ele ter ocorrido. Portanto, os acontecimentos deste início de mês podem se desdobrar por esse tempo tanto no Brasil, quanto em outros países.

Em paralelo à lunação, haverá uma longa conjunção entre Vênus e Plutão entre os dias 5 e 29. Esse aspecto se traduz em transformações e crises na área financeira, com destaque para o mercado imobiliário. Modificações nas hierarquias de antigas e poderosas empresas ou grupos econômicos também devem ocorrer. Será um momento astral de mudanças dinásticas ao redor do mundo e, no Brasil, guardadas as proporções, o plano político e a elite de poder serão testados. Reviravoltas políticas são esperadas.

Até a Lua cheia em Gêmeos, no dia 19, mudanças astrais importantes ocorrem: Marte entra em Sagitário no dia 13, no momento em que Mercúrio ingressa no mesmo signo. Marte em Sagitário acentua a tendência a incêndios e explosões, apontada pelo eclipse solar mencionado anteriormente. Mercúrio movimenta as Câmaras e anuncia, a partir daí, negociações na área parlamentar junto ao Planalto.

Na terceira semana, Vênus inicia sua retrogradação em Capricórnio. Bem próximo a Plutão, o astro traz de volta antigas negociações políticas que pareciam superadas ou ultrapassadas para um acerto de contas bem distante das necessidades populares. No dia 21, o Sol entra em Capricórnio faltando um minuto para as 13h pelo horário de Brasília. Isso marca uma época importante para o Brasil, em que planejamentos de médio e longo prazos serão mais favoráveis.

Mercúrio em sextil a Netuno entre o Natal e o Réveillon anuncia grande movimentação em viagens, assim como a disseminação de doenças contagiosas, incluindo o Covid-19. Na mesma época, Marte e Saturno em sintonia favorecem planos de longo prazo e anunciam acordos importantes entre as Forças Armadas e o Governo Federal. Longe dos olhos ocupados da população, mas perto do poder, conclui-se o mês com grandes composições financeiras e políticas que objetivam acordos e o fortalecimento do Planalto.

Na véspera de Natal, a tensa e importante quadratura entre Saturno e Urano se forma novamente. Veremos a disputa entre a responsabilidade social e a emergência de grupos que advogam para si o reconhecimento de suas especificidades e identidades. Grupos antivacina poderão ser um exemplo disso.

Como uma bênção para encerrar esse ano tão difícil, Júpiter entra em seu domicílio noturno, Peixes. No dia 29, o astro da compaixão e da generosidade começa uma estadia no signo da visão ampla, da cura e do sentimento. Até o segundo semestre de 2022, o planeta estará minorando de alguma forma os desafios que o povo brasileiro ainda enfrentará num ano de recessão, oscilações políticas inesperadas, desemprego, fome, desmatamento e destruição de suas reservas naturais.

O Céu do Mês é escrito pela astróloga Barbara Abramo (@barbara.abramo), assim como as previsões mensais e diárias para cada signo.

A votação do UOL não possui caráter cientifico ou influência sobre o resultado do programa da TV Globo