Conteúdo de Marca

produzido por

Sem testes em animais

Vegano e sem uso de cobaias: Natucor se preocupa com todas as etapas da cadeia de produção

oferecido por Selo Publieditorial Erika Lourenço

Tem pensado em mudar o visual e colorir os cabelos, mas quer evitar agressões ao fio? Quem acompanha as novidades do universo da beleza sabe que esse é um desejo que tem aumentado entre pessoas do mundo todo.

Em resposta ao movimento, a indústria de cosméticos está investindo em formulações com ativos cada vez mais naturais. Lá fora, a preocupação com ingredientes "do bem" já se consolidou como um segmento de beleza. Por aqui, essa pegada ganha cada vez mais força.

E o olhar atento dos consumidores mais conscientes levanta uma outra bandeira importante: a exploração animal pela indústria dermocosmética. Para que um produto seja realmente cruelty free (sem crueldade animal, em inglês), é preciso que nenhum teste com cobaias tenha sido realizado durante todo seu processo de fabricação. E aqui, é importante destacar: isso vale para a cadeia de fornecedores também! Ou seja, os insumos usados para chegar no produto final, não testam nada em animais.

Um dos produtos que se destacam nesse movimento é a tintura Natucor, da Embelleze, uma empresa com mais de 50 anos no mercado de beleza e pioneira em incluir extratos naturais em suas formulações. Para isso, a Embelleze seguiu um parâmetro internacional: o "Regulamento Europeu para Cosméticos" (EU Cosmetic Regulation, de EC 1223/2009).

No exterior a discussão bioética começou antes de nós. Desde 2009 a União Europeia proibiu o uso de animais para testes de cosméticos e em 2013 proibiu a venda de produtos que tenham sido testados em animais

Existem ONGs internacionais, como a People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) e a Vegan Society que atestam sobre produtos de beleza serem veganos e cruelty free (livre de crueldade animal) e atuam no Brasil. Por aqui, temos desde 2013 o selo "SVB" da Sociedade Vegana Brasileira: um sistema de certificação que concede a produtos de diversos ramos (alimentos, cosméticos, higiene, limpeza) um selo vegano confiável e reconhecido nacionalmente. "O selo é dado não à empresa ou marca, e sim a cada produto - portanto, qualquer indústria pode solicitá-lo. O nosso objetivo é esclarecer as dúvidas e, caso exista o interesse, oferecer suporte para iniciar o processo de certificação vegana", explica a SVB em comunicado.

Ainda que no Brasil a certificação de produtos veganos e cruelty free não seja feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), é ela que tem o papel de atestar se os dados fornecidos pelas empresas sobre testes em animais são verdadeiros.

Natucor

O que diz o rótulo?

Agora que jogamos luz a boa parte das dúvidas, ainda resta falar sobre os ingredientes. Isso porque nessa onda consumo "do bem" várias perguntas surgem sobre há ainda bastante desinformação. Há substâncias que já receberam regulamentação e tiveram dosagem restrita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária ou foram proibidas. "Desde 2006 o chumbo foi proibido, por exemplo, e há estudos que indicam seu potencial cancerígeno", explica Carolina Gramigna, dermatologista e tricologista da Clínica Adriana Cairo, de São Paulo. E a Natucor não usa ingredientes proibidos, de origem animal e é cruelty free.

"Como médicos, aconselhamos as pacientes a optarem por produtos menos agressivos. Mas o principal conselho é: antes de qualquer mudança capilar, perceba como está o atual estado do seu couro cabeludo", diz Carolina.

É comum ter algumas pequenas áreas com descamação, por conta da regeneração celular, mas esta não deve estar coçando, com vermelhidão ou ardendo. Se sentir esses sintomas, sinal amarelo. Procure um dermatologista, de preferência especializado em tricologia, que terá no consultório equipamentos capazes de visualizar e analisar o couro cabeludo, o equilíbrio lipídico e a saúde do bulbo capilar.

"Não adianta querer construir nada em um terreno com problemas. É a mesma coisa com a saúde dos fios. O couro cabeludo precisa estar bem e saudável." Além de respeitar seu corpo, o resultado será ainda melhor em um "terreno" saudável.

Outro ponto importante é fazer o teste de mecha conforme recomendação do fabricante. Em poucos minutos da aplicação do produto, sabe-se como os fios vão ficar tento em aparência, cor, mas principalmente, se continuam saudáveis após a transformação.

"Esse passo é importante porque um cabelo sensibilizado pode ficar ainda mais frágil e até danificado após os processos de coloração ou descoloração." Nada de surpresas desagradáveis. É melhor ter uma imagem fiel de como será o resultado final e já ensaiar a selfie!

Topo