PUBLICIDADE

Topo

Soltos

Zombeing: o ghosting que ressurge das cinzas é o novo golpe da paquera

Carol Tilkian e André Lage

sobre os colunistas

Piranhas românticas, André e Carol são experts em solteirice e partidários do afeto mesmo nas relações casuais. Carol está solteira há 6 anos e já não troca a aula de hot yoga por um date mais ou menos. André está solto monogâmico mas já se esbaldou muito na vida de contatinhos. Publicitários e roteiristas, trabalham com comportamento e conteúdo há anos e decidiram se aprofundar no tema que é assunto da manicure à terapia: como se relacionar hoje em dia.

André Lage

Piranhas românticas, André e Carol são experts em solteirice e partidários do afeto mesmo nas relações casuais. Carol está solteira há 6 anos e já não troca a aula de hot yoga por um date mais ou menos. André está solto monogâmico mas já se esbaldou muito na vida de contatinhos. Publicitários e roteiristas, trabalham com comportamento e conteúdo há anos e decidiram se aprofundar no tema que é assunto da manicure à terapia: como se relacionar hoje em dia.

Colunista do UOL

09/11/2020 04h00

Se você achava que sua vida paquerativa já andava difícil por conta do isolamento social, da epidemia de ghosting (aquelas pessoas que simplesmente param de te responder, somem do nada, vão comprar álcool gel e não voltam nunca mais) e do crescente número de curvings (se você ainda não conhece esse golpe clica aqui. Escrevemos sobre ele há algumas semanas, mas já esclarecendo, é a famosa cozinhada em banho-maria com requintes de crueldade) prepare-se: 2020 está aqui para mostrar que nada está tão ruim que não possa piorar, não é mesmo?

Novembro traz pra gente uma nova onda também dos golpes da paquera digital com um vírus da cara de pau já modificado e sofisticado catalogado como ZOMBIEING ou a volta dos mortos vivos.

O que é essa tal de Zombeing

Zombeing é um termo em inglês que poderia ser traduzido como "zumbizar" ou a volta dos crushes mortos vivos. Sabe o tal crush que foi comprar álcool gel em junho e nunca mais voltou? Pois é, assim como ele desapareceu do nada, ele reaparece do nada como se nada tivesse acontecido. Meses de sumiço, mensagens visualizadas e não respondidas, convites pendentes? Talvez ele tenha se esquecido de tudo isso durante seu período no além, porque ao voltar pra sua vida, o zumbi se faz de louco e retoma o papo de onde vocês pararam, ou reativa o flerte já considerando que você ainda está na dele.

"No digital as conversas são um eterno fluxo. Não existe um início ou fim marcados. O balãozinho fica ali, com o último papinho. Assim a pessoa volta ao chat e acha que tudo bem retomar a conversa de onde parou" defende o antropólogo Michel Alcoforado. Ou seja, comunicação virtual é o território perfeito para proliferação de zumbis.

Seriam esses zumbis fantasmas arrependidos ou apenas entediados?

Para os crentes no amor e nos espíritos, essa onda de zumbis é perigosíssima, por que a gente pode fazer a famosa vista grossa para os meses de sumiço e acreditar que agora vai ser diferente e que a pessoa está mais a fim da gente do que estava antes de sumir do nada. Será mesmo? Não sei como são os zumbis de vocês mas os meus não reaparecem assim 100%. Esses crushes são mestres em aparições de impacto ao cair da noite mas seguem desaparecendo na nuvem de fumaça com o raiar do dia. Ou seja, eles voltaram para sua vida mas ainda não totalmente "humanos fofinhos topando café da manhã e tarde de conchinha no sofá".

Pode ser que o crush estivesse passando por um momento complicado da vida e agora tudo mudou? Pode? Mas sinto dizer que esta é a exceção da exceção. A psicóloga americana Kate Balestrieri, fundadora do portal Modern Intimacy estudou o comportamento à fundo e listou as principais razões pelas quais as pessoas voltam das trevas:

1. Elas estavam entediadas:

A vida deu uma desacelerada, os novos papinhos do crush não engataram, a série que ele estava vendo na Netflix acabou e, pra não lidar com o tédio, ele resolveu te procurar. Simples assim. Sabe o "só tem tu, vai tu mesmo"? Pois é, assim que a vida reanimar e ele voltar a socializar com a turma, muito provavelmente vai sair pra comprar álcool gel e demorar mais seis meses pra voltar

2. Elas estão "guardando-caixão"

Nesses casos a volta é aquela boa e velha manutenção para ter certeza de que você ainda está na dele caso ele mude de ideia. Assim ela vai se reaproximar apenas o suficiente para garantir que você retome as esperanças na relação mas nunca o necessário para que a história engate.

3. Elas querem ser fantasminhas camaradas

Esse é o perfil que faz ghosting, mas tem peso na consciência. Em geral esses crushes se sentem culpados por terem sumido do nada e têm medo que você fique com uma raiva eterna deles e os joguem na fogueira dos infernos. A reaparição aqui é pra colocar panos quentes e garantir que você ainda vai poder ser cozinhado no presente e no futuro.

4. Elas tão precisando de um "biscoito"

"Em momentos como na pandemia onde a autoestima fica abalada por oscilações emocionais é muito comum que esses zumbis voltem a procurar pessoas que se atraiam por eles para obterem validação" afirma Kate. Ou seja, você está sendo reativada como simples massageadora de ego, que tal?

Talvez mortos sejam melhores mortos

Mais importante do que porque os zumbis aparecem é como você vai lidar com eles não é mesmo? E acho que essa é a reflexão mais importante pra gente fazer porque traz a responsabilidade pra nós. Se você realmente acha que esse zumbi merece uma segunda chance, sem problemas. Um pouco de vista grossa pode ser estratégia de sobrevivência paquerativa. Mas aceitar o zumbi não precisa ser passar pano totalmente. Acho que vale uma cutucada bem-humorada sobre o período de sumiço. Ironia e humor caem como uma luva pra dar um recadinho sem mandar textão e ajudam a mostrar pro coleguinha que solteirice contemporânea não é bagunça.

E em alguns casos, acho que vale analisar se a assombração vale a pena. Não é por que o fantasma apareceu que você tem que falar com ele. Se o seu sexto sentido te diz que nada mudou e que essa ressurreição vai ser um gatilho para te lançar em uma relação de muito papinho e pouca entrega? Toma um bom banho de sal grosso e deixa a mensagem no silêncio. Às vezes é melhor manter os mortos mortos mesmo.

Momento mão na consciência: E quando o zumbi é você?

Trago aqui uma provocação: quem nós somos na fila desse purgatório do amor? Os que são assombrados por crushes mortos vivos ou os fantasmas que reaparecem na vida alheia sem lembrar que estavam mortos, a la Bruce Willis em O Sexto Sentido?

Que atire a primeira pedra quem nunca mandou um "oi sumido" ou "sonhei com você" pra alguma pessoa que deixamos no silêncio por meses. E quando a gente tá assombrando o outro, raramente quer assumir que está sendo sacana, até porque usamos a lógica apontada pelo Michel Alcoforado de que a paquera digital é um eterno fluxo e que tudo bem tentar de novo com alguém que não demos a devida atenção no passado.

É claro que a gente pode mudar de ideia e olhar com carinho pra alguém que deixamos passar, ou podemos querer repetir aquele sexo incrível sem compromisso. Mas antes de ressurgir das cinzas vale sacar como o coleguinha lida com fantasmas. Por que se a gente sabe que ela vai acender uma velinha para esse romance voltar e a gente só tá querendo curar a carência? talvez não seja o caso de reaparecer.

Antes de reaparecer na vida de alguém vale fazer o check-list do bom-senso básico e se perguntar: Essa pessoa estava envolvida comigo e terá esperanças de algo que eu não quero dar? Estou disposto a aceitar os sentimentos e as relações do coleguinha com a minha reaparição e abrir espaço pra conversar sobre isso? Em caso negativo, deixe os crushes em paz.

Se você quer saber como sobreviver à solteirice em tempos de likes, segue a gente no YouTube e no Instagram. Toda semana a gente entrevista solteiros, especialistas e divide nossos aprendizados e teorias. Mande histórias e dilemas que a gente transforma em pauta!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.