PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Tenho a fantasia de transar com meu marido e a ex dele. E agora?'

Getty Images
Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista de Universa

08/01/2022 04h00

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Olá, boa tarde. Eu sou casada com meu marido há 10 anos e até hoje ele tem contato com a ex-mulher dele. Os dois têm filhos e são amigos, inclusive. Eu também tenho dois filhos com ele. Hoje em dia eu sou próxima da ex-mulher, conversamos bastante e até já passamos o Natal juntas. Acontece que eu tenho a fantasia de ver meu esposo ficando comigo e com ela ao mesmo tempo. Tipo, transando com nós duas. E agora? O que eu faço?
- Ex dos sonhos

- Cara Ex dos sonhos,
Olha, longe de mim julgar a fantasia de qualquer pessoa. Se você tem o desejo de transar com o seu marido e uma outra mulher, acho que isso é uma coisa que você pode ir abordando com jeitinho com ele, para sondar se ele teria também interesse em algo assim. Agora, não acho prudente essa outra mulher ser a ex-esposa do seu atual. Vamos imaginar que a experiência real não seja tão bem sucedida quanto a sua fantasia. Imagine que algum dos três fique desconfortável ou faça algo que os outros não gostem. Essa é uma mulher com quem vocês terão que continuar convivendo e não poderão simplesmente cortar da vida em caso de climão. Também não sei a idade dos filhos envolvidos, mas é importante que eles possam ter acesso ao pai e às mães sem que isso crie constrangimentos. Afinal, vocês já são um raro caso em que todos se dão bem. Se eu fosse você, procuraria outra pessoa para exercitar esse seu desejo. Há um bom motivo para as fantasias morarem dentro das nossas cabeças e acho que essa, especificamente, não deveria sair de dentro dela.

Eu me casei grávida após 9 meses de namoro. Meu marido queria muito casar e minha família também, chegando a insinuar que, com um filho, não seria possível eu continuar na casa dos meus pais. Casei mesmo sem querer. Meu filho nasceu e deu bastante trabalho, mas tive ajuda do meu marido e quando os meses iniciais passaram, tivemos um bom período de casados, 1 ou 2 anos mais ou menos. Mas agora, há aproximadamente 2 anos, não sinto mais desejo por ele e não transamos há mais de 3 anos. Já falei com ele sobre separação, mas ele discorda e acha que as coisas podem melhorar. Eu duvido que isso aconteça porque o sentimento praticamente acabou. Nunca houve traição, mas tenho pensado nisso pra ver se tomo coragem de botar um ponto final nessa relação. E agora?
- Mal casada

- Cara Mal casada,
Acho que você deveria usar essa oportunidade para tentar entender por que você tem tanta dificuldade de fazer aquilo que você realmente quer fazer. Entendo que, na situação de grávida e possivelmente sem lar, você tenha optado por um casamento conveniente, ainda que sem amor. Que bom que a experiência foi positiva por alguns anos. Mas agora, passado esse tempo todo, com você mesma admitindo que não tem desejo nem sentimentos pelo seu marido, não faz sentido nenhum você continuar casada. Faz menos sentido ainda a ideia de traí-lo na esperança que ele te expulse de casa. Por que passar por esse drama com uma criança envolvida? Como que isso vai favorecer os termos do seu divórcio? É você que precisa encerrar esse casamento. Diga que você realmente não vê mais saída nessa relação e insista nisso. Depois volte ao assunto as vezes que for preciso. É a coisa certa a se fazer.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL