PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Minha amiga roubou o nome que eu ia dar pra minha filha'

Você tem o direito de ditar o nome que uma outra pessoa vai dar ao próprio filho? - Pexels - Thiago Borges
Você tem o direito de ditar o nome que uma outra pessoa vai dar ao próprio filho? Imagem: Pexels - Thiago Borges
Conteúdo exclusivo para assinantes
Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista do UOL

30/10/2021 04h00

Oi, preciso de um conselho. Eu tenho 25 anos e me casei há dois anos. Desde pequena, muito antes de conhecer o meu marido, eu já sei qual é o nome que quero dar pra minha filha, que é "Maria Luisa". Já conversei com meu marido e ele também gosta do nome, e decidimos começar a tentar a ter filhos no ano que vem, então já está tudo resolvido. Acontece que minha melhor amiga engravidou agora e descobriu essa semana que vai ter uma menina. Agora ela veio me dizer que a bebê vai se chamar Maria Luisa! Sendo que ela sabe que eu sempre quis esse nome, e ela me conhece desde criança. Discuti com ela, e agora estamos sem nos falar. Como posso fazer ela entender o meu lado?
- Mãe de filha imaginária

- Cara mãe de filha imaginária,
É possível que a sua amiga tenha tirado a ideia para o nome da filha dela das conversas que vocês já tiveram sobre o assunto? Sim, perfeitamente possível --e provável, inclusive. Agora, você tem o direito de ditar o nome que uma outra pessoa vai dar ao próprio filho? Não, de jeito nenhum. Infelizmente, não existe essa de patentear um nome --ainda mais um tão comum como Maria Luisa-- para uma filha que você um dia poderá vir a ter. E se você tiver um menino? E se você tiver vários meninos? E se você não quiser mais ou não puder ter filhos algum dia? Ligue para a sua amiga e peça desculpas pelo seu comportamento. Se você engravidar de uma menina no ano que vem, siga com seu plano original. O que é o pior que pode acontecer? A sua Malu ter uma amiga que também se chama Malu --o que não é problema algum.

Estou me envolvendo há 4 meses com uma mulher que conheci no chat, moramos em estados diferentes... O problema é que ela é casada. Eu tenho 29 anos e ela, 46. Isso não teria importância, se não fosse o fato de ela ter um marido agressivo e controlador. Só conseguimos conversar ou fazer chamada de vídeo com dificuldade. Ela diz que já pediu o divórcio, que não sente nada por ele, mas que o marido não aceita. Ela diz que vai terminar de fato quando resolver uma questão do filho deles, que é adolescente. Ninguém da família dela sabe que ela gosta de mulheres, o que seria mais um problema também. Enquanto isso, eu, que sou solteira, trabalho, estudo e tenho minha vida tranquila, fico aguardando algo que parece não ter fim. Ela sempre garante que tudo vai ser resolvido e ficaremos juntas. O que fazer?
- A ver navios

- Cara a ver navios,
Olha, não é que eu ache impossível que essa mulher que você nunca viu e que mora em outro estado largue o casamento dela de anos, com um filho para criar e um marido agressivo, para assumir um relacionamento inédito com outra mulher --eu acho é bastante improvável. Para mim, essa história tem toda a cara de que ela vai ficar te enrolando sem fim. Por isso, acho que você deveria aproveitar a distância geográfica para tocar a sua vida. Continue falando com ela se isso não te fizer mal, mas procure outras pessoas para se envolver. Saia por aí, circule com pessoas --tenho certeza de que existe outra mulher muito menos enrolada e muito mais dedicada a você em algum outro lugar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL