PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Percebi que sou dependente emocionalmente do meu marido. E agora?"

Pexels
Imagem: Pexels
Conteúdo exclusivo para assinantes
Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista de Universa

24/07/2021 04h00

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Boa noite. Sou casada há 9 anos. Nunca fui feliz em meu casamento porque meu marido nunca me deu o valor nem o amor que eu merecia. Inclusive, ele sempre me traiu e sempre viveu nos sites e apps de relacionamento. Infelizmente, desenvolvi por ele a tal dependência emocional. Não o amo. Não quero mais, mas não consigo separar e seguir em frente. Mas agora, o fato é que nos últimos 3 meses eu acabei conhecendo outro homem, que também não vale muito a pena, mas está me pressionando para separar e casar com ele. Ele quer me assumir mas eu tenho medo de não dar certo e eu ficar sozinha... Me ajude, o quê eu faço?
- Doente de não-amor

- Cara doente de não-amor
Pense comigo: será que as suas duas únicas opções no mundo são ficar num casamento em que você não é feliz e vive sendo traída, ou casar de novo com alguém que não parece ser muito melhor? Poucas coisas são mais alarmantes do que você descrever o seu amante - que ainda é novidade, que quer casar com você - como "alguém que não vale muito a pena". O que é que existe na solteirice que pode ser tão pior do que isso? Mas vamos à parte prática. Acho que você não vai terminar o seu casamento se não for por um empurrão desse novo homem, então não seja por isso, se é isso que você quer, vá em frente. Mas não cometa o erro de se casar novamente. O que há de errado em apenas namorar alguém para ver se ele realmente é essa encrenca que aparenta ser? Enquanto você decide esses imensos detalhes, procure terapia para olhar para essa dependência emocional, para se fortalecer, e para garantir que, da próxima vez em que você se relacionar, você não se contente com pouco.

Sou casada há cinco anos e antes namorei por três anos meu marido. Acontece que não consegui esquecer meu ex-noivo. Por muito tempo, eu o deixei onde ele deveria ficar: no passado - ele me machucou muito e também saiu muito machucado da nossa relação conturbada e impossível. Meu esposo é um doce de pessoa e me ama da forma dele, mas não se compara ao que vive de tão forte com meu ex. Recentemente, esse ex me enviou uma mensagem falando sobre uma conquista pessoal dele e eu o parabenizei, mas não mantive contato. Agora estou há semanas muito triste por ter percebido o quanto ainda o amo. Ambos somos casados, mas de longe sinto que ele também me ama e que anda visitando meus stories. Eu sei que com meu marido eu vou ter uma vida de casada, com estabilidade emocional, filhos. E também sei que eu não posso esquecer a traição e a decepção com esse ex. Estou em luta entre a certeza e a dúvida, não sei o que fazer e nem sei se esse sentimento vai morrer um dia.
- Oito anos de saudade

- Cara oito anos de saudade
Hoje vai ser o dia dos conselhos iguais. Acho que você deveria procurar uma terapia para tentar desvendar alguns mistérios dessas suas relações. 1. Será que isso que você está sentindo pelo seu ex é amor de verdade ou você está apenas confundindo intensidade - de emoções, de dramas etc - com amor? 2. Se for a segunda opção, como fazer com que você possa ser feliz em um relacionamento mais calmo? 3. Se você realmente não gostar do seu marido ótimo, será que vale a pena ficar ficando, até ter filhos, casa etc? Eu não sei a resposta para nenhuma dessas perguntas. O que eu sei é que o fato de ele fuçar o seu stories não quer dizer absolutamente nada - vira e mexe, eu me pego fuçando a vida da prima da minha amiga de infância que eu vi uma vez na vida. Cogite a possibilidade também de ele estar feliz com a vida dele.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL