PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Larguei um namoro longo porque ele se envolveu emocionalmente com outra"

Marjan_Apostolovic/iStock
Imagem: Marjan_Apostolovic/iStock
Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista do UOL

21/05/2021 04h00

Vivi um relacionamento durante 14 anos. Lá pelo sexto ano juntos, começamos a praticar ciclismo. Mas ele se desenvolveu rapidamente e, como eu não consegui acompanhar o ritmo dele, me deixou para trás. Eu fiquei em uma turma e ele em outra. Foi então que ele fez amizade com uma ciclista casada e, para mim, isso evoluiu para algo mais sério, porque nunca mais ele fez planos de futuro comigo, viagens, casamento, nada. Era como se esperasse algo dela. Cheguei a conhecer o marido dela, que incentivava os programas esportivos dos dois juntos, o que me deixava mais apreensiva ainda. Então eu terminei o relacionamento, pois, além de pedalarem juntos, os dois passaram a correr juntos também e eu me senti invadida. Ele jura que nunca tiveram nada, mas pra mim isso foi no mínimo traição afetiva. Devo vomitar sobre ela o estrago que ela fez na minha vida? Ou fico engasgada e passando de ciumenta?
- Pedaladas rivais

- Cara pedaladas rivais
Eu consigo imaginar a sua frustração ao ver o seu marido passando cada vez menos tempo com você e se dedicando a essa nova paixão. Mas cogite a possibilidade de o problema do seu relacionamento não ter sido essa amiga que ele fez sobre duas rodas - mas o que se passava entre você e ele. De fato, pode ter havido um envolvimento emocional entre os dois, mas você não tem indícios que tenha passado disso ou que fosse algo irreversível. Pense também que foi você que terminou o namoro e que essa sua decisão não necessariamente foi baseada no ciclismo, ou na corrida, ou na amiga - mas, sim, no que você espera de um relacionamento. Não tem nada de errado você querer mais da pessoa que está do seu lado, e isso inclui, claro, planos para o futuro. Talvez você estivesse cansada de esperar. Agora, você só vai passar de ciumenta raivosa, se for falar com essa mulher. Se eu fosse você, desistiria dessa ideia.

Tenho 34 anos, trabalho desde cedo, sou independente e estou namorando há 7 meses. Meu namorado é uma ótima pessoa, me trata muito bem e tem uma vida estável. Sinto que achei alguém muito especial. O problema é: não sei se quero ser mãe, não me imagino assumindo a responsabilidade de ter filhos agora, mas tenho medo de chegar lá na frente e me arrepender. E infelizmente sabemos que a mulher não tem muito tempo pra decidir. Meu namorado quer ter filhos, mas nunca me pressionou a respeito, ainda mais porque estamos juntos há pouco tempo. Sinto que ele seria a pessoa ideal para constituir uma família, caso eu queira. O problema é que eu ainda não sei se quero e sinto que meu tempo está acabando.
- Mãe de família, eu?

- Cara mãe de família
Você está se deparando com um dos assuntos que realmente podem definir o futuro do seu relacionamento. Não é justo alguém ter filhos (ou deixar de tê-los) contra a vontade. Felizmente, você ainda não está 100% decidida sobre o que quer. Você tem razão, filhos são a maior responsabilidade que pode haver na vida - mas não são só isso. Sugiro que você trabalhe essas questões com um terapeuta e tente olhar para a raiz dos seus desejos. Enquanto isso, não faça nada. Você tem um relacionamento muito recente ainda e novas pesquisas andam mostrando que, não, a fertilidade da mulher não é uma bomba relógio e que, não, ela não deixa de ser fértil no segundo em que completa 35 anos. Um ou dois anos podem fazer toda a diferença no seu momento de vida, em descobrir como o seu namorado é a longo prazo e, principalmente, no que você realmente quer para o futuro. Boa sorte!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL