PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

"Socorro! Meu pai fica assediando as minhas namoradas"

Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista de Universa

07/05/2021 04h00

Olá, tenho uma situação muito peculiar, talvez polêmica. Meu pai, que tem pouco mais de 60 anos, gosta de olhar para as mesmas garotas que eu - ou mais novas até. Eu tenho 30 anos. Ele olha até para as minhas namoradas. Estou sem saber o que fazer nessas situações, e como dizer para ele respeitar minha mãe. Me dê conselhos.
- O rapaz da série "Hoops" da Netflix

- Caro Rapaz da série
Só consigo imaginar a forma ostensiva com que ele deve olhar para as mulheres de metade da idade dele para você ficar tão incomodado. Imagine, então, como elas devem se sentir. Acho difícil que você consiga fazer com que seu pai perca esse hábito nojento, mas acho que vale a tentativa - pelo menos para que ele se controle perto de você, da sua mãe e principalmente das suas namoradas (!). E aí não vai ter jeito, você vai ter que puxar o assunto desagradável. "Pai, vi que você passou a tarde inteira olhando para a Maria Augusta. Se isso acontecer de novo, infelizmente, não virei mais aqui almoçar com vocês. E vou ter que contar para a mãe também". Aposto que ele vai chilicar, negar, tentar inverter a situação, mas mantenha-se firme. Se a situação se repetir, levante e vá embora assim que ele começar com o olho bobo. De resto, torço para que alguma dessas moças que ele fica encarando na rua mande ele para aquele lugar ou que ameace chamar a polícia por importunação sexual.

Bom dia. Estou passando por uma situação complicada. Meu namorado (não somos casados, mas moramos juntos) recebeu uma oferta de emprego muito boa, na área em que ele sonha trabalhar. Porém ele teria que trabalhar viajando - algumas vezes em cidades perto, outras em cidades mais distantes. Só que eu tenho um passado muito conturbado em relação a namoros à distância. Dois relacionamentos meus já acabaram por esse motivo. Então eu não sei o que fazer, porque não posso pedir ele para largar o emprego dos sonhos por mim, mas não tenho o psicológico para aguentar um namoro à distância. O que eu faço?
- Não me abandone

- Cara Não me abandone
Então vamos trabalhar esse psicológico. Você tem razão, não dá pra pedir para o seu namorado não aproveitar essa oportunidade - e você também tem razão: namoros à distância são difíceis mesmo. Mas há quem consiga levá-los, sim, por muito tempo. Pelo que você diz, não é que ele passará a morar em outra cidade, apenas que ficará indo e vindo, certo? Tente olhar para trás e pensar no que deu errado das outras vezes: foi o ciúme? A insegurança? A falta de contato físico? Tente diagnosticar o que te deixa tão temerosa - de preferência com um terapeuta, que possa te ajudar nesse processo. Depois, conte tudo isso ao seu namorado. Explique o que você sente, e o que acha que será necessário para fazer esse namoro à distância dar certo: é uma conversa ao telefone no fim do dia? São mensagens? Visitas já determinadas? E lembre-se: o seu atual não é o seu ex - e vocês não necessariamente vão cometer os mesmos erros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL