PUBLICIDADE

Topo

Se Conselho Fosse Bom

"Devo largar meu marido para ficar com meu amante?"

Pexels
Imagem: Pexels
Karin Hueck

Karin Hueck é jornalista e escritora. Foi editora da revista "Superinteressante", colaborou para alguns dos maiores veículos do Brasil e tem 5 livros publicados. "Se conselho fosse bom" é uma coluna de conselhos sentimentais, existenciais e práticos. Está com problemas no trabalho? Sua família te enlouquece? Não sabe se casa ou compra uma bicicleta? Mande as suas dúvidas para o se.conselho.fosse.bom@bol.com.br As respostas são 100% anônimas

Colunista do UOL

13/11/2020 04h00

Há dois anos conheci um cara. Tivemos um caso alguns meses antes de eu me casar e depois me afastei. Uns meses depois de casada, porém, voltei a me relacionar com ele --até que engravidei do meu marido e me afastei de novo. Mas ele nunca desistiu de mim, está sempre falando que aceita meu filho e que quer muito me assumir, e voltamos a ficar. Ele diz que espera eu me separar. Mas eu tenho um relacionamento razoável com meu esposo e tenho medo de magoá-lo. Não consigo acabar com o meu casamento. Mas eu amo esse outro cara. Sempre que estou com ele, esqueço de tudo. Sei que esse cara é perfeito para mim. Meu esposo só reclama, é ignorante e arrogante mesmo. Não sei se gosto dele porque ele é o pai do meu filho. Não sei o que fazer diante de tudo isso. Como devo agir?
- O outro e o oficial

- Cara o outro e o oficial
Antes de tudo, é bom dizer que só você poderá saber se o seu casamento chegou ao fim. Mas eu acho importante pontuar que a comparação entre o seu marido e o amante proibido, que você vê de vez em quando, com quem você divide juras de amor, mas não contas, banheiro e problemas familiares não é justa. É óbvio que o seu marido vai parecer desinteressante perto dele. Dito isso, não me parece que você ainda quer ficar casada --sequer parece que você gosta do seu marido, e não é justo para ninguém (ele, seu filho, seu amante, você) ficar prolongando essa situação. Não importa qual seja a sua decisão, saiba que relacionamentos reais --inclusive esse novo que você quer criar-- são confusos, mudam o tempo inteiro e nem sempre se parecem com contos de fadas.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

Conheci um homem na balada. Nós conversamos, ficamos o tempo todo juntos e senti que rolou uma conexão gostosa entre a gente. Demos boas risadas, ele pediu meu número de telefone e até me levou embora! No outro dia, conversamos pelo WhatsApp, a conversa foi bem legal. Porém já se passaram dois dias e ele não me mandou mais nada. Agora não sei se deveria tomar a iniciativa de mandar mensagem e convidá-lo para sair. Obs: ele é 11 anos mais velho que eu! Gostei de ter ficado com ele e queria conhecê-lo melhor! Devo tomar essa atitude?
- Travada

- Travada
Pelo amor da deusa, mande uma mensagem para esse homem. Pode ser que ele realmente não esteja muito interessado, mas é impossível saber qualquer coisa baseada em uma única conversa que vocês tiveram. Pode ser que esse encontro na balada vire alguma coisa, pode ser que não. A única certeza que você pode ter é que, se você ficar esperando as coisas (e os homens) caírem no seu colo, nada vai acontecer.

Meu primo e eu estávamos tendo relações sexuais. Eu sempre gostei muito dele, estou apaixonada por ele, mas ele não gosta de mim desse jeito. Disse que não quer me iludir e que preciso achar alguém que me ame, mas eu só consigo pensar nele. Queria saber se tem como rolar alguma coisa entre a gente ainda. E falei para ele que o queria do meu lado, mas podia ser também apenas como um melhor amigo ou o melhor primo, algo assim. Ele não respondeu. O que eu faço?
- Prima dona

- Cara prima dona
Desista. O seu primo já falou com todas as letras que não tem esse tipo de interesse em você. Não há o que você possa fazer para que ele mude de ideia. Insistir nessa relação --inclusive nesses meio termos, como "melhores amigos" ou "melhores primos"-- só vai acabar causando sofrimento.

Está precisando de um conselho? Mande a sua pergunta para se.conselho.fosse.bom@bol.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.