PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Só durmo 2 horas mas sempre transo': Maíra Cardi cria mais uma meta irreal

Maíra Cardi é casada com o ator e vencedor do BBB 22  Arthur Aguiar - Reprodução/Instagram
Maíra Cardi é casada com o ator e vencedor do BBB 22 Arthur Aguiar Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista de Universa

20/05/2022 04h00

Mulheres, como se sabe, são pessoas que, no geral, vivem sobrecarregadas. Além do trabalho, cuidamos mais das tarefas domésticas, dos filhos, dos idosos, basicamente, de tudo. Muitas de nós, além dessas jornadas todas, ainda têm a "jornada da beleza", o que significa seguir uma rotina estrita de exercícios, cabeleireiro, depilação e por aí vai para estar sempre bonita e com aparência bem cuidada. Exaustivo.

Pois a coach Maíra Cardi inventou mais uma jornada para a gente: o sexo. Explico. Maíra fez a seguinte declaração essa semana, em um desabafo no Instagram para seus milhões de seguidores.

"Eu não dormi essa noite, a gente chegou em casa às 5h e às 8h a gente já estava em pé. Estou nessa balada de trabalho que eu já vinha antes, não só das minhas coisas, mas agora das coisas dele [falando do marido, Arthur Aguiar). Não estou conseguindo nem ver minha filha, nem dormir. A única coisa que eu faço em duas horas é dar uma transadinha, que isso aí eu não abro mão. Posso até ficar sem dormir, mas não deixo de dar uma namorada".

Só faltava essa: o sexo como mais uma das coisas que a gente tem que riscar da lista de obrigações do dia.

Deus nos livre de uma vida onde, além de ter que cumprir todas as nossas jornadas (atenção, homens do mundo, não aguentamos mais, dividam todas essas missões com a gente!), a gente tenha que "cuidar das coisas do marido" e manter o "calendário" sexual em dia.

No passado não tão recente, revistas femininas publicavam guias de "como segurar seu homem". Esses manuais de submissão eram bem no estilo Maíra de conselhos e incluíam a obrigação de fazer sexo regularmente. Afinal, dizia-se, "senão o homem pode procurar o que falta em casa na rua."

Sim, essas coisas terríveis eram repetidas apenas algumas décadas atrás. E, hoje, 2022, continuam a ecoar no discurso da coach e influenciadora.

Sexo não é obrigação!

Sexo (e é absurdo ter que explicar isso agora) não é uma obrigação. É algo que devemos fazer apenas quando estamos com vontade. E não, não se cobre para, além de tudo que você já faz. ter que estar "sempre pronta para dar uma namoradinha". Não há problema algum, inclusive, em ficar meses sem sexo. Não existe padrão. E a vida sexual de cada um não deve (e não pode) virar mais um fator de competição e comparação.

Não basta a gente olhar o Instagram e achar que todos se exercitam mais que a gente, vão a mais festas, tomam mais água. Agora vamos pensar também que os outros transam mais?

E na boa, nnguém merece só ter duas horas de descanso. Não há nada de bonito nisso, nem nada a ser glamourizado. A exaustão feminina é um problema sério, que nos deixa doentes. Somos as recordistas em burn out.

Durante o momento mais sério da pandemia, por exemplo, 68% das mulheres do Brasil se sentiram sobrecarregadas com o trabalho. No caso dos homens, o número foi 56%. Não tem nada de bonito nisso. E nem é sexy.