PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sheila Mello é criticada por rebolar aos 42. E há idade certa para dançar?

Curioso seria se Sheila Mello não dançasse, né? - Dilson Silva/AgNews
Curioso seria se Sheila Mello não dançasse, né? Imagem: Dilson Silva/AgNews
Conteúdo exclusivo para assinantes
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista de Universa

14/07/2021 17h23

"A mulher quando passa dos 40 precisa se comportar." Isso foi dito e repetido por centenas de anos por autores desconhecidos. Até que virou uma espécie de "verdade", que muitos saem por aí repetindo sem pensar e destilando preconceito.

É absurdo. É ridículo. Mas, essa semana, a dançarina Sheila Mello foi criticada por dançar tendo 42 anos (risos de desespero). Vale lembrar que dançar é sua profissão. Curioso seria se ela não dançasse.

O fato aconteceu depois que ela postou um vídeo no Instagram rebolando (vamos lembrar de novo, ela é a Sheila do Tchan, ela ficou famosa rebolando!). Alguns dos seguidores que assistiram se incomodaram - é, até uma mulher feliz rebolando incomoda.

Uma seguidora escreveu: "Deixa isso para as novinhas".

Scheila respondeu: "Porque??? Isso é minha paixão! Você largaria a sua por 'achometros' dos outros? Quero mais é que as novinhas e velhinhas dancem, o mundo seria melhor! Você inclusive podia dançar!"

Ela está certíssima, claro. E, olha, ainda foi muito educada. O que realmente é impressionante é que as pessoas achem que podem ser ombudsmans do que uma mulher pode ou não fazer de acordo com a sua idade. Spoiler: ela pode fazer tudo o que ela quiser, independente da idade.

Não vamos deixar de fazer o que queremos por causa da opinião de ninguém, claro que não. Mas não é justo que a gente tenha que aguentar críticas até por fazer coisas básicas como dançar! E que continuar com a sua profissão, ou dançar simplesmente porque gosta, não seja uma coisa simplesmente normal, mas que vire praticamente uma militância.

Tem outro detalhe assustador. Scheila só tem 42 anos. Ela é novíssima. E, claro, esperamos que ela continue fazendo o que gosta por muitos e longos anos.

Quem reclama de uma mulher dançando parece filho repressor que reclama da mãe parecer gostosa demais ou dançar esquisito. Se nem um filho tem direito de se meter assim na vida da mãe sem levar um "cuida da tua vida", o que falar de um passante da internet?

Mulheres com mais de 40 (e 50 ou 60) podem ter bandas de rock, serem dançarinas de dança do ventre, fazer striptease, descer até o chão. A lista é infinita e só depende da vontade delas.

É curioso. Mas, ao mesmo tempo em que mulheres assumem os cabelos grisalhos, mais e mais modelos mantêm suas carreiras bombando depois dos 40 e dos 50 (e sensuais sim, porque não?), essas críticas continuem e atinjam até mulheres com aparência superjovem.

Praticamente toda famosa brasileira com mais de 40 anos já recebeu um "conselho-bullying" de um desses especialistas em boas maneiras de mulheres que vagam pela internet.

É cansativo. E muito, muito mal educado da parte deles. Quem eles acham que são? Haja rebolado para aguentar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL