PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

"Vou vacinar de maiô": atriz subverteu postura de influenciadoras isentonas

A atriz Mariana Lima, em cena do vídeo em que defende o uso de máscara e questiona como a exibição do corpo gera mais engajamento nas redes  - Reprodução/Instagram
A atriz Mariana Lima, em cena do vídeo em que defende o uso de máscara e questiona como a exibição do corpo gera mais engajamento nas redes Imagem: Reprodução/Instagram
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do UOL

22/06/2021 18h10

Vocês já repararam que, em plena pandemia mundial, com o Brasil contando mais de 500 mil mortos, influenciadoras com milhões de seguidores seguem postando apenas selfies, fotos de biquíni e as dancinhas do momento nas redes sociais?

Provavelmente sim. Mas a atriz Mariana Lima viralizou com um vídeo onde, de biquíni, ensina a usar máscara. E ela fez isso justamente porque percebeu que, para conseguir engajamento nas redes, é preciso mostrar o corpo e a bunda. Errada não estava.

"Nesta semana entrei pela primeira vez nas redes dessas influenciadoras de biquíni, muitas delas atrizes, minhas colegas. Eu não imaginava, sinceramente, mas quando eu vi... Eram 30 milhões na rede de uma e 50 milhões na rede de outra. E era só bunda, bunda, beleza, beleza. Fiquei chocada!"

A surpresa e a revolta de Mariana são compreensíveis. Como é possível fingir que nada está acontecendo no país e ficar postando foto sensual para ganhar biscoito como se nada estivesse acontecendo? E é isso que chama atenção, enquanto a gente grita sem parar que as coisas não estão nada bem?

"Já estou sentindo uma revolta muito grande e lidando com esse sentimento há muitos anos. Tento conversar com outras pessoas nas redes, dialogar. Mas a gente fica circunscrito à nossa própria bolha. A minha rede é pequena, é uma rede pessoal", diz Mariana.

O vídeo foi feito de brincadeira, sem pensar. Mas o resultado: Mariana viralizou, ganhou mais de 15 mil seguidores e o post, até agora, teve mais de 6 mil comentários. Provou seu ponto. Uma mulher, de fato, chama mais atenção quando mostra o corpo.

E agora? "Era uma brincadeira, uma coisa que fiz sem pensar. Mas agora estou pensando se não vou ter que fazer uma série", diz a atriz.

Vou vacinar de maiô. Ou será que coloco um biquíni enfiado na bunda para mais gente me escutar? As coisas são assim. O corpo e a exposição chamam mais atenção

Apesar da crítica, Mariana acha que os influenciadores estão se tocando que o momento é grave. "A situação está num grau de tragédia que as pessoas estão acordando dos seus limites.", defende.

Não é mais uma questão 'de vota em quem?'. É de tirar essa calamidade do poder. Não consigo nem falar o nome do presidente. Me faz muito mal

Mariana também tenta não se contaminar com o próprio ódio. "Outra coisa que tenho tentado tomar cuidado é não deixar a raiva ir para a comunicação. Falo com muito cuidado, senão a gente sai jogando bílis nos outros. Isso volta para você. A violência verbal da internet me faz muito mal. Mas as redes são nossos canais de comunicação. É o que temos."

Com seu vídeo desabafo sobre boicotagem engajada, Mariana provou esse ponto também: é possível se comunicar e criticar. Mas com humor.