PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Epidemia estética causa morte e rostos deformados. Quando isso vai acabar?

Segundo o Google, a busca por " "harmonização facial" aumentou 540% em relação ao ano passado. - iStock Images
Segundo o Google, a busca por " "harmonização facial" aumentou 540% em relação ao ano passado. Imagem: iStock Images
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do Universa

03/05/2021 15h33

"Sarah Andrade adere à moda dos famosos e faz harmonização facial". "Cantora Gretchen conta tudo sobre harmonização facial". É só dar uma olhada rápida por dia nas notícias de celebridades que você vai ver que alguma famosa passou pelo procedimento. Se não fez isso, mexeu em alguma "coisinha", tipo, experimentou uma lipo lad (a moda da temporada passada).

A "harmonização facial" é o procedimento do momento. Segundo dados do Google, a procura por ela aumentou 540% ano passado.

Dá para entender, afinal, se muitos famosos estão fazendo, muitos vão na onda, são influenciados. Há quem diga também que o aumento do tempo de tela durante a pandemia, já que muitos de nós passam o dia em conferências pelo Zoom, aumentou o desconforto com a própria imagem. E, claro, mais tempo de tela significa também mais tempo vendo os outros. E se esses outros fizeram harmonização, já viu.

Pesquisas mostram também que cada vez mais as pessoas querem parecer com suas imagens no Instagram, aquelas cheias de filtros. Ou seja, as pessoas procuram procedimentos por inveja delas mesmas em versão no aplicativo.

Mas não foi só a harmonização que aumentou na pandemia. O setor estético é dos poucos que só cresce. Em revistas para empreendedores, é visto como um setor promissor. No Instagram, os procedimentos são anunciados por influencers. Alguns aproveitam e fazem "publi" da clínica.

O crescimento do que já é uma epidemia no Brasil (segundo país com mais cirurgia plástica no mundo) e toda essa banalização de procedimentos já mostra suas vítimas.

Reportagem do Fantástico ontem mostrou o caso de dezenas de mulheres que denunciam a dentista Giselle Gomes, de Campos de Goytacazes, no Rio de Janeiro. Motivo: depois de supostas harmonizações faciais, as pacientes ficaram com os rostos deformados. A dentista aplicaria poli(metacrilato de metila) no lugar de ácido hialurônico, que é o indicado. Segundo reportagem publicada no Universa, a possibilidade de poder reverter ou não os efeitos do procedimento depende, entre outros fatores, do produto utilizado.

A dentista está suspensa e pode ser presa.

O aumento do número de procedimentos também faz o número de mortos crescerem.

A última vítima foi Ronilza Johnson. Ela morava na Inglaterra e, em férias para visitar a família em Goiás, aproveitou para fazer uma cirurgia de aumento do bumbum. Depois de complicações, ela morreu no sábado (1) em uma UTI de Anápolis. O responsável pelo procedimento, assim como no caso das moças deformadas, também pode ser preso. Trata-se de um biomédico, que se apresentou como médico e um estudante de medicina. Eles foram denunciados por exercício ilegal da profissão.

Tanto Ronilza como as mulheres que ficaram com o rosto deformado são vítimas de pessoas que não estavam preparadas para realizar esses procedimentos, que agiram por ganância e irresponsabilidade.

Mas esses charlatões, que precisam ser punidos no rigor da lei, não são os únicos responsáveis pelas tragédias.

São muitos os responsáveis em uma sociedade onde muitos lucram com a insatisfação feminina e com nossas supostas "imperfeições".

Mudar toda essa sociedade é difícil. Mas todos que banalizam esses procedimentos deveriam colocar a mão na consciência e agir com responsabilidade.

Na hora que a famosa e/ou influenciadora anuncia os benefícios da tal "harmonização facial", é claro que quem vê isso pode se interessar em fazer. E, nessa busca por um procedimento barato, pode comprar um pacote oferecido por pseudo profissionais criminosos, que pode deixar marcas ou até matar.

É mais assustador ainda que tudo isso aconteça durante uma pandemia mundial. Os hospitais estão lotados. Se você for vítima de um procedimento, ainda corre o risco de ficar sem lugar na UTI. Parece um episódio distópico de Black Mirror. O pior é que esse seriado ruim da vida real não parece ter prazo para acabar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL