PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Jornada de Lumena não pode ser cancelada por seu itinerário errático no BBB

Lumena no BBB 21 - Reprodução/Globoplay
Lumena no BBB 21 Imagem: Reprodução/Globoplay
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista de Universa

02/03/2021 15h41

Quando a psicóloga e DJ Lumena Aleluia foi anunciada como participante desta edição do "Big Brother Brasil", muitas mulheres inteligentes e participativas no Twitter celebraram. A expectativa era de que Lumena, negra e engajada, levasse pautas importantes para o reality ou conseguisse mandar a real quando presenciasse comportamentos machistas, racistas, homofóbicos e agressivos corriqueiros no programa. Quem a conhecia na vida real apostava nisso.

Deu errado. Lumena teve muitas atitudes péssimas, usou a militância do jeito errado, colou nas piores pessoas e virou piada com suas frases cheias de expressões acadêmicas ("mulher fenotipicamente branca", "se privilegiar desse lugar de ser fofa" etc.) que ninguém usa em conversas banais.

Entre suas atitudes lamentáveis, a que mais decepcionou o público foi ela ter questionado o primeiro beijo gay de homens na história do programa. Ao ouvir um pedido de acolhimento de Lucas Penteado, que acabara de se revelar bissexual em rede nacional ao beijar Gil, a baiana, que é gay, foi agressiva com o ator e disse que ele teria dado o beijo para se promover. Lucas abandonou o reality horas depois.

A psicóloga está no paredão desta terça (2) ao lado de outros dois participantes com grande rejeição, além dela: o rapper Projota (outra grande decepção) e o crossfiteiro Arthur (que teve atitudes machistas e homofóbicas). A enquete do UOL indica que Lumena deverá ser a eliminada desta noite.

Se isso se confirmar, ela terá conseguido ser mais rejeitada que esses dois caras. Impressionante. Ou não, já que mulheres, principalmente negras e gays, costumam se dar pior do que homens. Talvez ela tenha saído só por conta de suas atitudes no programa, mas não dá para ter certeza.

O que importa é: o que vai acontecer com Lumena daqui para frente? Ela vai viver sendo ridicularizada, tomando bullying e sofrendo ameaças? Isso é justo?

Quando a cantora Karol Conká saiu da casa com o maior índice de rejeição da história do programa, criou-se um justo movimento de proteção a ela. Famosos espectadores do programa, como Neymar, tuitaram em seu apoio, mesmo não gostando de sua participação no BBB.

O mesmo Neymar liderava ontem a torcida contra Lumena. O jogador passou a fazer campanha contra ela depois da psicóloga falar em uma conversa: "sabe como é, jogador de futebol, escroto". A frase era errada? Sim, mas foi dita no meio de uma conversa. Acontece.

Além do apoio de pessoas famosas, Karol recebeu também várias chances de se defender em programas na Globo. O motivo não é nobre: além de ser famosa, o ódio a Karol dá audiência. Seu paredão fez o "BBB" ter a maior audiência em dez anos — o mesmo rolou no dia seguinte, no "Mais Você", quando ela deu entrevista para Ana Maria Braga. No domingo, participou do "Domingão do Faustão" e do "Fantástico".

No caso de Lumena, é difícil que imaginar que seu vocabulário que junta vivências, aprofundamento e jornada na mesma frase, dê audiência. Ninguém tem paciência para o jeito que ela fala. Nem eu. Mas é justo que ela seja jogada aos leões? Não, certo?

A psicóloga é uma mulher negra e lésbica, ou seja, tem tudo para ser perseguida e alvo de ódio fora do programa, na vida real. Sua namorada relatou ter recebido ameaças.

Lumena tem uma "vivência" muito maior que sua "jornada" no programa, para usar seu vocabulário. Trabalhou no SUS atendendo mulheres vítimas de violência doméstica, sempre foi engajada e também trabalha como roteirista (ela pediu demissão na produtora de Felipe Neto para entrar no programa). Nada disso merece ser, usando de novo uma palavra "estilo Lumena", apagado.

Na noite desta segunda (1º), ao participar do "Jogo da Discórdia" do programa, Lumena chorou ao vivo. "Eu não sou essa pessoa, eu sou alegre", disse. A psicóloga precisa ter o direito de, no mínimo, mostrar essa outra Lumena para a gente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL