PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

Anitta e Nego do Borel: e quando seu amigo é acusado de agredir uma mulher?

Anitta sobre Nego do Borel "Não passo a mão na cabeça de amigo que fez besteira só porque amo". - Reprodução / Internet
Anitta sobre Nego do Borel "Não passo a mão na cabeça de amigo que fez besteira só porque amo". Imagem: Reprodução / Internet
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do UOL

15/01/2021 04h00

Você coloca a mão no fogo pelos seus amigos? No quesito machismo e da possibilidade de terem tido comportamento abusador em relacionamentos, não coloco. E a maioria das mulheres que conheço também não. Claro, não achamos que nossos amigos são abusadores de mulheres (senão a gente já teria se afastado deles). Mas podemos, sim, ser surpreendidas.

Aconteceu com a Anitta, amiga de Nego do Borel. E também com várias conhecidas minhas, amigas de outro abusador recentemente. Complicado, não? Mas sim, pode acontecer com qualquer uma de nós. O cara que ameaça, agride moralmente e fisicamente uma mulher não é, necessariamente, um monstro. Muitas vezes, ele é um cara legal, divertido, inteligente, gente boa. E pode, inclusive, ser um ótimo amigo.

No caso de Nego do Borel, além de amigo íntimo de Anitta, ele também é parceiro.

O cantor, para quem não sabe, é acusado de uma série de assédios contra sua ex-namorada, a influencer Duda Reis. Ela contou essa semana, em um relato emocionado, que sofreu ameaças, agressões físicas e emocionais do ex-noivo. O relacionamento, segundo o relato da influencer, era extremamente abusivo. Duda registrou um boletim de ocorrência contra o cantor na quinta-feira.

Amigo é pra essas coisas

E aí? O que os amigos e amigas de Nego do Borel fazem em uma situação dessas? Não existe fórmula.

Mas uma coisa é certa, para mulheres, relevar acusação de abuso é, além de errado, bem difícil. Em geral, quando isso acontece, acho que pegamos ranço e nos afastamos. Não dá para, simplesmente, fingir que nada aconteceu. No caso dos homens, esperamos que eles parem de passar pano para os "brothers." Inclusive isso é fundamental para que as coisas mudem.

Se seu amigo é acusado de agredir uma mulher, discuta com ele, diga que é inadmissível. E, por favor, não caia no papinho dele de que "a mina é louca."

Anitta rapidamente se posicionou: "Não passo a mão na cabeça de amigo que fez besteira só porque amo. Meu papel já fiz há tempo e sigo fazendo até hoje. O certo é o certo, o errado é o errado. Encorajo sempre a todas as mulheres a buscarem segurança e paz em suas relações. Assim sempre será", escreveu em suas redes sociais.

Como infelizmente muitas mulheres são agredidas no Brasil (mais de 500 por hora!) ter um amigo acusado de abuso acontece bastante. E o acusado pode ser, como bem disse Anitta, inclusive um amigo que a gente ama.

Recentemente, vi várias amigas e amigos passarem por situação parecida depois que uma moça querida foi agredida por um sujeito que é muito conhecido na cena do rock de São Paulo.

Na ocasião, me surpreendi positivamente ao ver muitas mulheres (e até alguns homens) se manifestando claramente sobre o ocorrido. E por que a surpresa? Ah, porque até pouco tempo isso era abafado. Sim, a "fama" de agressor corria mais como um boato. Claro que isso despertava em nós, mulheres, um tamanho de um sinal de alerta para que a gente não se relacionasse com o cara. Mas, no fim das contas, a coisa ficava por isso mesmo. Ou seja, o pensamento comum ainda era aquele clichê danoso:"em briga de marido e mulher ninguém mete a colher". Aos poucos, ficava meio por isso mesmo.

As coisas avançaram muito nos últimos anos. É incrível que uma menina como Duda tenha coragem de fazer uma denúncia tão séria com apenas 19 anos. Tomara que nenhum dos amigos de Nego do Borel desmereça a dor da menina e que todos esses casos de agressão não virem "boatos que correm por aí". E fiquem atentos, o agressor pode estar muito perto de vocês. E ele pode, inclusive, ser o cara mais "gente boa" da balada". É, a vida não é fácil.