PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nudes no Twitter: o que pode mudar com a venda da plataforma?

Foto de Andrea Piacquadio no Pexels
Imagem: Foto de Andrea Piacquadio no Pexels
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

01/05/2022 04h00

Na última semana foi anunciada a venda da rede social Twitter para o bilionário Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX pela bagatela de 44 bilhões de dólares, algo em torno de 215 bilhões de reais. Com a conclusão da compra, a rede social, que antes comercializava parte de suas ações na bolsa de valores, se tornaria uma empresa de capital fechado.

Hoje, o Twitter é uma das poucas redes tradicionais que ainda permite o compartilhamento de conteúdo explícito e sensual, então, quando li essa notícia, não pude deixar de lembrar do caso Tumblr, que em 2018, após mudanças "estratégicas", decidiu extinguir a publicação de conteúdos explícitos e com isso perdeu mais de 100 milhões de visitas em um único mês.

Mais recentemente, em agosto de 2021, um caso semelhante aconteceu quando o OnlyFans - conhecido pela venda de fotos e vídeos explícitos - anunciou que proibiria publicações +18. A companhia precisou voltar atrás após pressão dos usuários.

Mas será que a mudança de dono pode afetar a política de privacidade e publicação do Twitter?

Para saber mais sobre isso, conversei com o professor de marketing digital da ESPM Rio João Vitor Rodrigues: "Não consigo imaginar ainda que tipo de mudança poderia ser feita a ponto de comprometer esses conteúdos em um primeiro momento, exceto se o Twitter bloquear imediatamente a permissão para conteúdos sexuais explícitos que hoje são permitidos. Ainda assim, acredito que a comercialização não seria afetada, porque não é a plataforma apenas que determina como esse comércio é organizado, mas, sim, os usuários que vão construindo espaços dentro das plataformas digitais inclusive para esses fins", contou.

Acredita que essa mudança afetará também a política de privacidade e publicação de conteúdo? "É possível, mas espero que sejam mudanças para ir contra problemas graves que temos enfrentado, como as contas falsas espalhando desinformação, e não mudanças que limitem os usos que as pessoas fazem da plataforma para conversas, trocas, interações etc."

Mesmo permitindo a publicação de conteúdos explícitos, alguns criadores acabam perdendo seus perfis justamente pela publicação de conteúdo sensual. Conversei com a modelo Kami Jinx, que utiliza a rede social para vender packs. Ela conta que nunca foi banida, mas vive com o receio de perder sua conta: "Como trabalho no Twitter a mais de um ano, eu, como outras sex workers, sempre temos receio de termos nossa conta banida por algum motivo envolvendo conteúdo sensual/sexual.", contou.

Sobre a rede social moderar conteúdos explícitos, Kami diz: "Não acho que seja importante. As pessoas que vão para o Twitter e encontram conteúdos sensuais buscaram por isso. Assim como uma pesquisa no Google te leva a um site de receitas da vovó. Você precisa querer isso, entende? Moderar a publicação de conteúdos sensuais só trará dificuldade para quem trabalha com isso. Nada mais."

Mesmo com a mudança de dono, tudo indica que as notícias são promissoras para quem usa o Twitter para divulgar a venda de packs.

E você, utiliza a rede social do passarinho? Deixa aqui nos comentários.

Mayumi Sato