PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quatro orgasmos e muitos gemidos: como é a gravação de um conto erótico

Um bom conto erótico é aquele que permite a qualquer pessoa fantasiar com a situação - iStock
Um bom conto erótico é aquele que permite a qualquer pessoa fantasiar com a situação Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

17/10/2021 04h00

Já falei aqui algumas vezes sobre o sucesso que são os contos eróticos na internet (e muito antes dela). Entra ano, sai ano, as buscas por contos se mantêm em alta e, quem trabalha com sexualidade como eu, sabe que a demanda é grande tanto por quem gosta de ler quanto por quem gosta de escrever.

A Giovana trabalha comigo no Sexlog e coordena o projeto do Podcast Sexlog, que recentemente bateu a marca de mais de 1 milhão de ouvintes no Spotify. Para comemorar esse número, foi dela a ideia de produzir um episódio diferente, com duas vozes interagindo (uma masculina, outra feminina), quase como fariam numa situação real.

Ela me contou como foi a experiência de acompanhar os dois atores, Malu e Mário, nessa empreitada: "Sempre gostei de ler contos e, mais recentemente, de ouvi-los também. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar com contos eróticos primeiro em formato de texto e depois no podcast, fiquei mais do que feliz em tocar (com o perdão do trocadilho) esse projeto."

"Depois de um ano, quase 100 episódios no ar e 1 milhão de ouvintes, era hora de tentar algo novo e realizar um desejo antigo, gravar um conto com a interação de duas vozes", diz.

Eu já conhecia muito bem a história escolhida, mas acompanhar a Malu e o Mário dando voz aos personagens, trocando os diálogos, ouvi-los conduzindo o tesão ao vivo, sem ensaio e pausas, foi bem próximo a uma experiência voyeur.

Ela conta que "foram cerca de 30 minutos de gravação, detalhes picantes de uma transa, quatro orgasmos e muitos, muitos gemidos".

Foi incrível! Tenho certeza que quem ouvir esse episódio vai sentir o mesmo prazer que eu senti.

Aproveitei para matar a curiosidade sobre esse trabalho com os contos:

Como editora de contos eróticos, quais são os temas mais pedidos e enviados?

Tem uma diferença entre os contos que fazem sucesso no podcast e por escrito, no site. No podcast os contos no estilo ASMR (áudios suaves que despertam sensações agradáveis) são os mais buscados e ouvidos. Em seguida são as histórias de traição e cuckold, sexo em lugares do cotidiano (escritório, cinema, churrasco), ménage e as que envolvem situações bem mais inusitadas, como suruba, bdsm e gangbang.

Para quem gosta de escrever, como criar contos interessantes, conectados ao mundo atual e que não soem datados?

Um bom conto erótico é aquele que permite a qualquer pessoa fantasiar com a situação, se colocar nela. Ao descrever os personagens é interessante fugir dos estereótipos de homem com pênis muito grande, todo malhado e o mesmo para as personagens mulheres.

As pessoas se conectam muito com histórias do cotidiano, fantasias que podem se realizar naquela noite, como quando ficam até mais tarde com o colega de trabalho que já paqueravam e acabam transando escondidos ali mesmo.

Saber descrever uma cena com detalhes (os beijos que foram trocados, a parte do corpo que foi acariciada) e não pular já para a penetração também é algo que diferencia um conto bom de um ruim ou mediano.

Quais seus episódios favoritos do Podcast Sexlog?

Os que eu escrevi! [risos] Fora esses, gosto muito dos episódios: Gozei na aula de yoga, Dominei um gostoso no bdsm, Devorada por cinco na casa de praia e o já clássico Churrasco de piroca.

Como vocês recebem os contos que acabam virando episódio?

A gente recebe tudo pelo email revista@sexlog.com.br. Alguns são publicados no nosso site de contos eróticos e outros viram episódios do podcast. Os que têm mais chances de publicação são os que precisam de menos correções gramaticais e as histórias que deixam evidente a consensualidade entre os personagens.

E você, gosta de contos eróticos? Já viveu alguma situação que renderia um bom conto? Compartilhe aí nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato