PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Autoconhecimento, autonomia e prazer: curso ensina mulheres a se tocarem

Masturbação feminina ainda é tabu - Getty Images/iStockphoto
Masturbação feminina ainda é tabu Imagem: Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mayumi Sato Mayumi de Andrade e Silva Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Mayumi de Andrade e Silva Sato

Colunista de Universa

08/08/2021 04h00

Se hoje eu e você sabemos da existência de um pequeno e potente órgão chamado clitóris, é graças a um estudante de anatomia italiano do século 16, que na época o chamou de "amor veneris" ou amor de Vênus.

Apesar de conhecido desde então, a sua função de gerar prazer às mulheres ainda é um tabu. A masturbação feminina continua sendo um assunto permeado de constrangimento e pudor, ao contrário da masculina que costuma ser incentivada e vista como sinônimo de virilidade.

Foi pensando nisso que a Gaia Qav e a Malu Figueira, profissionais e empresárias da área de sexualidade, criaram o workshop Siririca Coletiva! A ideia é reunir mulheres, e pessoas com vagina de forma geral, para juntas desvendarem os mistérios do clitóris e serem guiadas por uma experiência prazerosa de autoconhecimento e autoamor.

A primeira edição do evento aconteceu no mês passado e reuniu cerca de 30 mulheres com idades entre 30 e 40 anos. O sucesso foi tão grande que a segunda edição já está programada para o final desse mês. Os ingressos podem ser adquiridos aqui. A Malu me contou um pouco mais sobre o workshop.

Como surgiu a ideia do evento?

No clube do Meu Clitóris no aplicativo ClubHouse, fazemos uma sala de bate-papo chamada Siririca Matinal, sobre educação sexual. Muita gente achava que seria uma siririca coletiva, e aí pensamos... por que não? Nosso propósito sempre foi o de proporcionar auto-conhecimento, autonomia e prazer e, como sabemos que pra isso é preciso ousar e quebrar tabus, promover siriricas coletivas pareceu um ótimo caminho.

E dá pra fazer isso, coletivamente, mas com privacidade?

Sim, a ideia só andou mesmo quando soubemos do recurso novo do Telegram, que permite criar salas de áudio com privacidade total num grupo fechado apenas para as pessoas inscritas.

O que as mulheres inscritas no workshop procuram?

Autoconhecimento, entender sua própria anatomia e novas formas de estimularem-se, superar seus próprios tabus e resistências. Também querem participar de algo diferente e ousado, excitarem-se com a própria ousadia e viver tudo isso com a segurança e privacidade do ambiente on-line.

Como funcionou o evento? Ele tem parte teórica e parte prática também?

Sim, trazemos alguns conceitos teóricos, mas a experiência é predominantemente prática. Tudo acontece através do chat de voz do telegram, apenas por áudio e dura cerca de 40 minutos. Nada fica gravado.

Na primeira parte, guiamos um mapeamento anatômico de toda a vulva e indicamos o uso de um espelho, para que as participantes possam reconhecer em si cada parte mencionada.

Em seguida, conduzimos a auto-estimulação que inclui sugestões de respiração, toques e movimento. Sugerimos que as participantes expressem livremente os sons que seus corpos emitem durante o processo e convidamos que abram os microfones ao final, para partilharmos e potencializarmos esses prazeres.

Ficamos muito surpresas com a adesão das participantes a esse convite já na primeira edição, e ao final vivenciamos uma sinfonia deliciosa de suspiros, gemidos, gargalhadas e até mesmo alguns choros de emoção. Foi incrível!

Vocês pensam em realizar um evento para pessoas que não têm clitóris, mas querem aprender mais sobre as pessoas com as quais elas se relacionam?

Meu Clitóris Minhas Regras realizou no último mês de junho um evento para homens e casais chamado "Língua de Ouro, Dedo de Diamante", que também foi muito interessante e terá novas edições em breve.

Para quem gostou e quer saber um pouco mais sobre o tema antes de embarcar no workshop, dá pra seguir a Malu e a Gaia no instagram e, no Clubhouse, procurar pelas salas: Meu Clitóris, Checkup Sexual e Sexo Livre.

Já mapeou o seu clitóris hoje?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato